Carregando

Vantagens e desafios do Open Banking para instituições financeiras

Por banco-topazio | 1 de novembro de 2019

O sistema de banco aberto pode trazer uma série de benefícios para o usuário

 

Open Banking é um sistema de compartilhamento de informações, serviços e produtos de bancos. Isso é feito por meio das chamadas APIs (Interface de Programação de Aplicativos em português), um conjunto de padrões de programação que permite a construção de aplicativos. Com elas, as instituições financeiras partilham dados com outras empresas para oferecer melhores experiências ao cliente final.

Leia mais:

>> Open Banking: o que é e como está transformando o setor financeiro

Essa solução melhora a experiência do cliente por facilitar seu acesso a diferentes serviços bancários, permitindo que a instituição na qual ele tem conta se conecte a diferentes sistemas e compartilhe informações financeiras – com a permissão do usuário -, agilizando operações e reduzindo custos.

Estes benefícios chegam em um momento oportuno, quando o consumidor quer cada vez mais praticidade para realizar suas atividades sem perder tempo. Por exemplo, se você tem um negócio de vendas online, ao integrar seu sistema com a plataforma de uma instituição financeira, é possível comercializar seus produtos com menos burocracia na hora do pagamento. Ou seja, os clientes poderiam comprar suas mercadorias sem precisar inserir os dados de cartão de crédito e outras informações, que poderiam ser puxadas diretamente do sistema do banco.

Ou, ainda, se você trabalha com um sistema de gestão financeira, não seria mais prático, simples e rápido se o extrato da sua conta bancária fosse puxado para dentro desse sistema todos os meses, em vez de você ter que colocar esses dados manualmente? Pensando em ajudar você a entender melhor os benefícios da solução, reunimos as principais vantagens do Open Banking. Confira:

 

Melhoria na experiência do cliente

O cliente torna-se dono do seu histórico financeiro, ou seja, se você é cliente de um banco por um determinado período e construiu um bom relacionamento, com benefícios, e quer migrar para outro banco, essa sua reputação positiva vai junto com você, não sendo necessário esperar o relacionamento com a outra instituição amadurecer para começar a ter vantagens.

 

Aumento das vendas

facilitar o pagamento e a finalização de uma compra contribui para diminuir os riscos de o cliente desistir de uma compra, por exemplo. Isso porque estamos diante de clientes que buscam cada vez mais agilidade e se preocupam em ter uma ótima experiência com as marcas – muitas vezes, eles dão mais atenção a isso do que ao próprio produto ou serviço que estão adquirindo. Portanto, se você conseguir prestar um atendimento com qualidade e rapidez, sua marca se destacará por ter importantes diferenciais competitivos em comparação com a concorrência.

 

Otimização de processos

Para quem utiliza sistemas de gestão financeira, seja pessoal ou empresarial, essa solução permite importar automaticamente o seu extrato de movimentações, facilitando e agilizando a análise dos gastos.

 

Mas apostar no Open Banking também pode ser um caminho com alguns obstáculos. Vamos conhecê-los?

 

Obstáculos do Open Banking

 

É verdade que a percepção dos brasileiros em relação ao Open Banking tem sido positiva. Pelo menos é o que mostra a pesquisa Open Banking Opportunity Index, feita pela consultoria EY. O Brasil se encontrava na 7ª posição do ranking que leva em conta, além de outros fatores, o sentimento do consumidor diante desta nova possibilidade de solução financeira. Mas, apesar de todas as vantagens, a adoção deste sistema pode ser desafiadora para os negócios que ainda não atingiram uma maturidade digital, ou seja, não estão totalmente adaptados às novas tecnologias. Entre os principais desafios para a implantação do Open Banking, estão:

 

Garantir a segurança dos dados dos clientes

A pesquisa World FinTech Report 2019, realizada pela Capgemini Efma, questionou diversos profissionais de instituições financeiras e fintechs sobre as principais preocupações sobre o Open Banking. A maioria dos entrevistados identificou segurança de dados (76%), privacidade do cliente (76%) e perda de controle dos dados do cliente (63%) como situações que mais complicam a criação e utilização de um sistema compartilhado.

Essa preocupação não é em vão. Afinal, quando falamos em informações bancárias, estamos tratando do dinheiro dos seus clientes. E para garantir a segurança dos consumidores, as empresas que acessam informações dos bancos devem garantir que elas estarão sempre seguras.

Este é o ponto mais sensível no Open Banking, que deve ser constantemente aprimorado e atualizado para garantir sigilo total dos dados e fazer com que o sistema de compartilhamento de dados bancários entre na rotina dos clientes com tranquilidade, praticidade e segurança.

 

Regulamentação do Open Banking

A implantação do sistema no Brasil ainda está em processo inicial, havendo diversos aspectos regulatórios a serem definidos. Em abril de 2019, o Banco Central (BC) deu início ao processo de implementação do Open Banking no País a partir da publicação do Comunicado 33.455, que estabelece as principais diretrizes que irão orientar a proposta de regulamentação do modelo a ser adotado no Brasil.

Na prática, o BC deve instituir uma série de regras a serem seguidas pelo mercado. Os requisitos estabelecidos indicam que deverão ser compartilhadas, inicialmente, as seguintes informações e serviços:

     1. Produtos e serviços oferecidos pelas instituições participantes (localização de pontos de atendimento, características de produtos, termos e condições contratuais e custos financeiros, entre outros);

     2. Dados cadastrais dos clientes (nome, número de inscrição no Cadastro de Pessoas Físicas – CPF, filiação, endereço, entre outros);

     3. Dados transacionais dos clientes (relativos a contas de depósito, operações de crédito, produtos e serviços contratados, entre outros);

    4. Serviços de pagamento (inicialização de pagamento, transferências de fundos, pagamentos de produtos e serviços, entre outros).

 

Além disso, apesar do Open Banking trazer diversas vantagens para os bancos, muitas instituições tradicionais ainda estão receosas quanto a abrir mão do sigilo dos dados de seus clientes, seja pela segurança das informações, seja pelo investimento que a solução exige. Mas para atender às demandas de clientes que buscam cada vez mais agilidade e praticidade nas suas atividades de rotina, é fundamental que os bancos se adaptem aos novos tempos.

 

 

Deixe o seu comentário