Carregando

Startup: uma alternativa para pequenos negócios

Por banco-topazio | 4 de setembro de 2019

Modelo de negócio é ideal para quem quer consolidar sua empresa no mercado começando com pouco investimento

 

O conceito de startup se tornou popular em 1990, com as empresas de tecnologia dos Estados Unidos. Quase 30 anos depois, o modelo de negócio vem se popularizando entre os empreendedores, sendo aplicável a qualquer segmento do mercado.

E esse é um modelo que vem fazendo sucesso no Brasil. De acordo com uma pesquisa da Associação Brasileira de Startups (ABStartups), de 2012 a 2018, o número de startups dobrou no País, passando de 2.519 para 5.147.

 

Mas, afinal, o que é uma startup?

As startups podem ser definidas como um grupo de empreendedores que buscam implantar um novo produto ou serviço no mercado. A diferença entre modelos de empresas tradicionais é que, para ser considerada uma startup, o negócio deve ser:

Inovador: ter uma excelente ideia não basta, é preciso apresentar um produto ou serviço que nunca havia sido pensado antes para suprir uma nova demanda do público ou fazer de forma diferente algo que já existe.

Escalável: o negócio deve ter a possibilidade de crescer de maneira rápida sem a necessidade de aumentar os recursos na mesma proporção.

Repetível: a empresa tem que ser capaz de entregar o mesmo produto em larga escala. Neste caso, é preciso deixar um pouco de lado as customizações e ofertas personalizadas para cada cliente.

Em resumo, esse modelo deve trazer as novidades que os consumidores buscam no mercado. Com investimento mínimo, as startups devem ter a capacidade de trabalhar com agilidade e adaptação rápida com o objetivo de crescer e gerar grandes lucros em pouco tempo.

Vale lembrar que nem toda startup será assim para sempre. Muitos negócios que começaram como startups já estão consolidados no mercado e não utilizam mais este modelo, como é o caso de Google, Apple,Facebook, Yahoo!, Microsoft, entre outras.

Leia mais:
>>Oferta única: o que você precisa para se diferenciar da concorrência

 

Como transformar sua ideia em startup

Iniciar seu próprio negócio e expandir sua empresa requer planejamento, investimento e também correr riscos. Com as startups, não é diferente. O que muda neste modelo é a oportunidade de começar seu negócio com pouco e transformá-lo em algo grande em um período de tempo mínimo.

Para iniciar uma startup, é importante ter em mente que inovação é a palavra-chave. Inovar, nesse cenário, é “tapar os furos” do mercado e gerar valor na vida dos clientes com o que você oferece. Ou seja, identificar um novo nicho ou novas oportunidades é o primeiro passo nesse processo.

Imagine a seguinte situação: você identificou que, no seu bairro, várias pessoas buscam por pão quentinho nas primeiras horas da manhã, quando ainda não há muitas padarias abertas. A partir daí, você cria um aplicativo que permite fazer o pedido do pão na noite anterior e agendar a entrega do produto para o início da manhã seguinte.

Então, você tem um projeto inovador (aplicativo de entrega de pães no horário de maior demanda dos clientes), escalável (o investimento com a produção dos pães não precisa, necessariamente, aumentar muito à medida que o negócio cresce) e repetível (a qualidade de seu produto não será impactada pelo aplicativo).

Com base nesse exemplo, separamos 5 dicas para você planejar, criar e fazer sucesso com sua startup. Confira:

1.Pesquise e peça ajuda

Pesquisar sobre o assunto, avaliar a concorrência e, principalmente, o mercado é indispensável para tornar o negócio viável. Pergunte-se quantos pães é possível entregar em uma manhã. Você lucrará com este negócio? Além disso, contar com a ajuda de consultores e pessoas mais experientes no ramo também é uma alternativa para encontrar o caminho certo.


2.Pergunte a quem realmente interessa

Os clientes são os verdadeiros responsáveis pelo sucesso ou fracasso de uma empresa. Você pode supor que eles querem receber o pão em casa, mas se a necessidade for outra, sua ideia cai por terra. Então, não tenha medo de perguntar para familiares, amigos, vizinhos e possíveis clientes se a sua ideia terá valor no dia a dia deles.

Uma boa dica é selecionar alguns clientes para testar as funcionalidades do aplicativo antes de investir no seu desenvolvimento. Para fazer isso, você pode começar a fazer entregas a partir de pedidos recebidos pelas mídias sociais, WhatsApp, Messenger ou soluções como iFood.

 

3.Organize sua equipe

Ninguém faz nada sozinho. Então, para tirar sua ideia do papel, você vai precisar contar com pessoas engajadas ao seu lado. Sabemos que profissionais qualificados geram custos. Um bom programador para seu aplicativo, um entregador ágil e bons padeiros serão necessários. Mas mesmo com uma equipe pequena, se todo mundo trabalhar junto e com comprometimento, já é metade do caminho andado para o sucesso.

Nesta fase de criação da sua startup, se você não possui capital para aplicar sozinho, pode buscar sócios que o ajudem financeiramente. É possível procurar parentes ou amigos que conheçam suas intenções e em quem confia. Ou recorrer ao seu network e pesquisar entre seus contatos e conexões profissionais capacitados e interessadas no seu negócio.

Além dessas opções mais tradicionais, existem outras como: os chamados equity crowdfunding, uma forma de financiamento coletivo com foco no desenvolvimento de startups na qual empreendedores se conectam com investidores em uma plataforma online; programas de aceleradoras, empresas que ajudam uma startup a dar os primeiros passos; programas de investidores anjos, como a Anjos do Brasil, que conectam a sua iniciativa a pessoas ou empresas que tenham interesse em investir.

 

4.Avalie seus resultados

Para que sua ideia comece a gerar lucro de forma mais rápida, é preciso avaliar se há a oportunidade de redução de custos na sua operação. Certifique-se que a matéria-prima necessária tenha o melhor custo-benefício, faça parcerias com fornecedores, mas sem deixar de lado a qualidade da sua entrega. Avalie criteriosamente seu custo com mão de obra. Mantenha seu negócio com qualidade, velocidade e, se possível, menos despesas, principalmente até começar a dar lucro.

E existem outras medidas que podem ser tomadas pensando no longo prazo. Por exemplo, você pode agregar mais valor ao seu negócio oferecendo serviços diferenciados a partir de parcerias, participação em eventos, oferta de brindes. Mas lembre-se que cada passo deve ser bem pensado e planejado, pois uma decisão equivocada pode fazer seu negócio desmoronar.

 

5.Adapte seu negócio

Uma das principais vantagens competitivas das startups é a agilidade com que elas podem se adaptar ao mercado. Mudar as estratégias e o foco do seu negócio para alcançar o sucesso é importante. Se a ideia é melhor no papel do que na prática, mude! Quem sabe os clientes desejam um café da manhã completo em vez de apenas pães ou, ainda, preferem pedir pelo aplicativo e buscar na padaria em vez de receber em casa. Adaptar sua ideia é importante.

Sendo assim, investir em uma startup pode ser uma alternativa para quem procura ter sucesso rápido no seu nicho de mercado, mesmo sendo uma pequena empresa. Pois esse é um modelo de negócio dinâmico, inovador e que tem como objetivo oferecer um produto ou serviço que realmente esteja em falta no mercado. E você, ficou interessado em se aprofundar no mundo das startups? 🤗

Deixe o seu comentário