Carregando

Queda da Taxa Selic: entenda o que é e como isso afeta seu negócio

Por banco-topazio | 22 de novembro de 2019

Copom reduziu a taxa Selic para 5%, a menor da história brasileira

 

A Taxa de Sistema Especial de Liquidação e de Custódia, mais conhecida como Selic, é, de forma geral, a principal ferramenta de política monetária utilizada para controlar a inflação. Em recente decisão, o Comitê de Política Monetária (COPOM) definiu, por unanimidade, reduzir a taxa Selic para 5%, firmando assim, a menor porcentagem histórica de taxa básica de juros. O maior valor de Selic já trabalhado no Brasil foi 45%, em 1999.

O COPOM é formado por membros da direção do Banco Central. O comitê costuma se reunir a cada período de aproximadamente 45 dias para decidir pelo aumento ou redução da meta da taxa Selic. Para chegar à definição, os especialistas procuram identificar, de acordo com os sinais do mercado brasileiro e internacional, quais são os rumos da economia para os próximos meses. Avaliam as condições da inflação, da atividade econômica, das contas públicas e o cenário externo para então estabelecer o valor da meta Selic a fim de equilibrar ou impulsionar a economia.

Com a meta definida e anunciada para todo o mercado, o valor real da taxa é calculado todos os dias, considerando as operações de financiamento de curto prazo que os bancos realizam entre si e que oferecem como garantia títulos públicos. A chamada Taxa de Depósito Interbancário (DI), ou Certificado de Depósito Interbancário (CDI), são os juros praticadas nos empréstimos realizados entre instituições financeiras para que os bancos fechem o caixa do dia sem sobra ou falta de dinheiro.

Sendo assim, a taxa DI ou CDI corresponde à média das taxas de juros dos depósitos interbancários com prazo de um dia. Ou seja, é a remuneração média paga pelos bancos tomadores aos bancos emprestadores. Com base no volume destas operações diárias, é calculada a taxa conhecida no mercado financeiro como overnight (termo em inglês que significa “durante a noite” em tradução livre), que sempre se mantêm dentro das previsões realizadas pelo Comitê e norteia as demais operações financeiras.

Como já mencionado, a taxa Selic é muito importante para a economia brasileira. É ela que dá as diretrizes, servindo como referência para todas as taxas de juros do mercado. Com a taxa elevada, sobem os juros cobrados em financiamentos e empréstimo, por exemplo. Já quando a taxa é reduzida, o Banco Central (BC) reduz os juros, o que pode estimular o consumo. Para você entender melhor como a queda da Selic pode afetar seu negócio, neste artigo vamos destacar como a taxa pode influenciar as principais operações e cenários financeiros. Confira:

 

Economia brasileira

 

O mercado produtivo precisa de crédito para fazer a roda da economia girar e gerar riquezas para o País e quem financia este crescimento por meio da liberação de crédito são os bancos que visam sempre o maior lucro e o menor risco. Para que uma instituição financeira ofereça crédito é necessário que os juros sejam maiores do que a taxa paga pelo governo e a possibilidade de inadimplência seja menor.

Quanto maior a Selic, mais alta será a taxa de juros fixada pelas instituições financeiras para compensar seus riscos.  Neste cenário, a alta taxa de juros fixada pelos bancos torna inviável que as empresas ampliem suas operações. Quando uma companhia deixa de investir, automaticamente ela para de gerar emprego, o que faz com que menos pessoas tenham poder de consumo.

As consequências desta situação afetam todo o mercado e podem estagnar a economia. Quando a taxa Selic sofre uma queda – como o que está acontecendo atualmente-  este cenário é invertido. Com juros menores, a economia tende a trabalhar de forma mais rápida, impulsionando todos os setores e alavancando o crescimento do consumo e do mercado.

 

Preço de produtos e serviços

 

Com a queda da taxa Selic, o segmento de produtos e serviços tende a crescer com o acesso mais fácil ao crédito e o aumento do consumo da população. Esses aspectos ajudam o empresário a realizar mais negócios e a ter fôlego para investir em melhorias, como a compra de maquinários e aumento na produção, que com a alta demanda pode tornar o preço de produtos e serviços mais competitivo.

Se as empresas estão indo bem e o mercado está aquecido, a tendência é que se torne necessário a contratação de mão de obra para garantir a produção. Com mais postos de trabalho, mais pessoas consomem, ou seja, a roda da economia continua a girar cada vez mais rápido beneficiando a todos.

 

Empréstimos

 

Como explicado anteriormente, a Selic afeta diretamente o valor dos juros das operações bancárias e um dos principais impactos para a população é a queda de valores na contratação de empréstimos, cheques ou rotativos do cartão.

Para quem precisa de crédito, é o melhor momento para encontrar uma alternativa de empréstimo mais vantajosa. É um ótimo cenário também para abrir novos negócios, pois além de melhores condições para crédito, o mercado está aquecido e o consumo maior.

Para quem está endividado, a diminuição da Selic é uma excelente oportunidade para negociar o saldo devedor com taxas mais atrativas. As instituições financeiras também tendem a aproveitar este momento de menor inadimplência para recuperar valores antigos, oferecendo melhores condições para renegociações.

 

Investimentos

 

Na perspectiva de investidores, a diminuição da taxa Selic não é tão favorável quanto em outros aspectos da economia. Isto porque, em algumas aplicações, como de renda fixa, tesouro direto, e títulos negociados, as operações seguem a rentabilidade da Selic, ou seja, com uma taxa de juros baixa, o investimento tem um rendimento menor, o que muitas vezes afasta quem quer começar a investir.

Por outro lado, o aquecimento do mercado devido a diminuição da Selic pode estimular investidores mais experientes e ousados a se envolverem com riscos maiores como ações da bolsa de valores ou fundo multimercado, o que pode abrir novas possibilidades.

 

Juros

 

Quando a taxa Selic é reduzida, o Banco Central reduz os juros das operações.  Com a finalidade de acompanhar este aquecimento do mercado, as empresas, sejam elas instituições financeiras, indústrias ou varejo, começam a se movimentar, reduzindo também suas taxas, para se tornarem competitivas e alavancarem suas operações. É um período propício para negociar, pois com taxas menores, a margem de redução aumenta e com ela a possibilidade de fechamento de bons contratos também se elevam.

Se a taxa Selic se mantiver semelhante ao percentual atual nos próximos meses, cria-se um cenário favorável para negócios lucrativos em empresas de qualquer segmento.

 

Deixe o seu comentário