Carregando

Pix promoverá mudanças importantes no mercado de pagamentos do Brasil

Por banco-topazio | 3 de novembro de 2020

Transações 24/7, além de rapidez e comodidade são pontos fortes do Pix, que estreia no Brasil em novembro.

O Pix – sistema de pagamentos instantâneos desenvolvido pelo Banco Central do Brasil (Bacen), teve seu início oficial em 16 de novembro. Em 5 de outubro, os clientes das instituições financeiras já puderam começar a cadastrar suas chaves de acesso para já realizar transações por meio do sistema. 

O início das operações do Pix tende a provocar uma grande mudança no mercado em geral. As modificações ocorrerão principalmente em segmentos como o varejo e pequenos negócios, além da própria dinâmica de operações financeiras do dia a dia, como pagamentos, transferências, depósitos, entre outras.

De acordo com Luiz Marciel Lauermann, gerente de Bank as a Service (BaaS) do Banco Topázio, a principal novidade do sistema é “disponibilizar uma nova forma de movimentação financeira, onde pagadores e recebedores podem operar seu dinheiro de forma eletrônica em tempo real”, esclarece.

Mudanças no dia a dia com a chegada do Pix

Luiz Marciel Lauermann, gerente de Bank as a Service (BaaS) do Banco Topázio

Na prática,  as transações poderão ser realizadas 24 horas por dia, sete dias da semana, inclusive feriado. Elas também passam a ser instantâneas, levando, em média, 10 segundos e no máximo 40 segundos para que as operações se efetivem e o dinheiro caia na conta. “Isso muda a dinâmica do mercado de transações financeiras e serviços. A emissão de TED e DOC, e até mesmo os boletos de cobrança tenderão a ficar obsoletos”, pontua Lauermann.

 

Redução de custos financeiros e operacionais com o Pix

 Uma das características mais marcantes do Pix é que, além de instantâneas, as operações bancárias não têm custo para os clientes pessoa física, representando uma opção bastante competitiva em relação às transações convencionais.

Para Lauermann, essa característica proporcionará melhores preços em produtos e serviços. “A redução no número de maquininhas de cartão, é um exemplo do que deve trazer uma redução de custos nas cadeias de pagamento”, prevê.

“Inicialmente, as transações a débito tendem a ser mais fortemente impactadas por migrarem para o Pix e, quem sabe, no futuro, também o cartão de crédito tenha de ser reinventado”, prossegue.

Isso acontece porque o mecanismo usado pelas operações via Pix se pelo uso do QR Code, um código que comporta mais informações do que o código de barra comum.

Quer receber conteúdos como esse por email? Inscreva-se na nossa newsletter!
É só preencher seus dados no final da página.

O QR code dinâmico será usado em pagamentos com valor variável e data de vencimento, como transferências e pagamento de boletos, e o QR Code estático virá junto a produtos (nas prateleiras e gôndolas de pontos de varejo, com produtos de preço fixo, por exemplo) e serviços (restaurantes de buffet livre, salões de beleza, etc).

Consequentemente, o pagamento ágil evita filas e proporciona que os valores entrem imediatamente na conta da empresa, sendo desnecessários possíveis custos pela antecipação de valores.   

 

Compras pelo varejo serão mais ágeis

 Um setor especialmente impactado pela chegada do Pix é o do comércio. Pela ótica do pagador, aponta Lauermann, as compras online, que  em muitos casos são pagas  atualmente via boletos, podem ter seus prazos de entrega reduzidos se o meio de pagamento escolhido for o Pix. “Isso pode reduzir o tempo de armazenamento e, possivelmente, o custo das mercadorias”.

Ele também cita as vantagens do saque no varejo, novidade prevista para o primeiro semestre de 2021, que acontece por meio de pontos de saque no interior das lojas, e efetivado também pela geração de um QR Code.

O dinheiro da conta do cliente é transferido na hora para o varejista, e assim o cliente pode sacar moeda em espécie.

“Para os beneficiários, além do custo menor no recebimento das transações, a disponibilidade imediata do dinheiro tende a melhorar o fluxo de caixa e reduzir a necessidade de crédito”, ressalta Lauermann. “Outro ponto importante é a facilidade na identificação dos pagadores das transações, melhorando as condições de conciliação financeira”, conclui. 

Esses são alguns dos fatores que reforçam a quantidade de mudanças e oportunidades que o novo meio de pagamentos instantâneos trará ao mercado. 

Fique por dentro de tudo sobre o Pix aqui!

Deixe o seu comentário