Carregando

Pequenas empresas: veja 5 cases de sucesso!

Por banco-topazio | 21 de maio de 2019

Reunimos alguns exemplos de pequenas empresas que mostram que, no mundo dos negócios, tamanho não é documento.

Tirar um projeto do papel, mesmo que de uma pequena empresa, parece complicado e burocrático mas com coragem, organização e persistência é possível construir uma trajetória de sucesso tornando uma pequena empresa um grande exemplo de sucesso. Conheça cinco histórias de pequenas empresas que começaram do zero e hoje são referência no mercado:

 

1. Zé Coxinha

Assim como o brigadeiro é o doce mais popular do Brasil, a coxinha é o salgado que caiu nas graças do povo. E sabendo disso, direto de Vila Velha (ES), Lorena de Carvalho, de 22 anos, fundou o Zé Coxinha. A lancheria vende, entre outros lanches, kits de mini-coxinhas com opções que vão de 15 coxinhas a R$1 até 90 coxinhas por R$6.

O negócio começou com um investimento de R$60 mil da família, sendo considerada uma empresa pequena. Mas, deu tão certo que foi transformado em franquia e hoje conta com 15 lojas. Além disso, foram investidos R$2,5 milhões na construção de uma empresa para abastecer todas as unidades. São utilizados mais de uma tonelada de farinha e 600 kg de frango por dia. O faturamento mensal passa dos R$600 mil.   

  

2. Maria Brigadeiro

Desde criança, a paulista Juliana Motter era fascinada por brigadeiro. No entanto, ao chegar na hora de escolher uma profissão optou pelo jornalismo. Mas a culinária continuou sendo sua paixão, e aos 29 anos, ela não hesitou e começou sua segunda faculdade: gastronomia.

Nas aulas de confeitaria, foi toda animada falar com a professora sobre novas formas de fazer brigadeiro, mas ouviu que não havia mais nada para aprender sobre o doce além do que já se sabe. Depois disso, como uma boa neta de doceira, Juliana sentiu-se desafiada e em 2007, abriu a primeira unidade da Maria Brigadeiro, totalmente voltada para opções gourmet do doce mais famoso do Brasil.

O sucesso foi tanto que ela vende hoje, três mil unidades por dia. Segundo Motter, o diferencial está na escolha de ingredientes de qualidade e fazer o doce na hora. Para tirar a loja do papel, que foi decorada por ela mesma, a ex- jornalista investiu entre R$150 mil e R$200 mil. Anualmente, o negócio fatura em torno de R$3 milhões.

  

3. BuySoft

A BuySoft é uma plataforma que vende contratos de licenciamento de sistemas, como Adobe e Microsoft. Além dos contratos de licenciamento, a empresa – que teve um faturamento anual de R$ 31 milhões em 2018 e crescimento de 94% no último ano – também oferece serviços de consultoria aos empreendedores para explicar as melhores soluções para suas companhias. Com todo esse resultado, fica difícil de imaginar que essa ideia foi posta em prática em quatro meses e em tempos de crise.

O criador da empresa é o paranaense (de Maringá), Clemilson Correia, de 39 anos. Ele é formado em História, mas nunca exerceu a profissão. Ele conta que foi no mercado de TI que achou seu lugar e, em meados da década de 1990, investiu em um curso de informática. Trabalhou na área até 2010, ano em que ficou desempregado. Nessa época, precisou vender o carro para suprir as despesas domésticas.

Diante dessa situação, Clemilson uniu seus conhecimentos em tecnologia com o empreendedorismo para abrir seu próprio negócio. Seu insight veio ao perceber a dificuldade das empresas com serviços de licenciamento de softwares. Assim, começou a trabalhar em casa mesmo e, em quatro meses, colocou o site no ar, ou seja, o embrião da empresa milionária que é hoje.

 

4. Snack Saudável

Em 2016, a assistente social Larissa Souza dos Santos montou um negócio local em Ji-Paraná (RO): começou a oferecer aos amigos e conhecidos a entrega de lanches saudáveis para crianças levarem à escola. Em poucas semanas, ela tinha 60 clientes fixos e estruturou a Snack Saudável, uma pequena empresa que prepara “comida de verdade” para crianças.  

Pouco mais de um ano depois, a empresa investiu R$ 200 mil para transformar o negócio em franquias e terminou 2017 com um faturamento de R$ 1 milhão. Para interessados, o investimento inicial do franqueamento é de R$ 62 mil. O lucro mensal está entre 25% e 30% do faturamento, que equivale a R$ 25 mil mensais.

 

5. Dr. Infiltração

Ninguém merece ter que tirar todo reboco da parede por causa de descascamentos, bolhas e mofos causados por infiltrações, né? Esse foi o pensamento de Digiovani Mondardo, que criou um produto capaz de repelir a água e criar uma barreira contra a umidade.

Então, com mais dois sócios (Gustavo Bisognin e Rodrigo Caporal), investiram R$ 1 milhão para fundar, em Santa Catarina, o Dr. Infiltração. A até então, pequena empresa, virou franquia, resolvendo o problema da umidade ascendente, quando a parede absorve a água vinda do solo, formando bolhas.  

Com 20 unidades pelo Brasil, a parceria do trio faturou R$ 3,5 milhões em 2018, com perspectiva de crescimento para R$ 4 milhões em 2019. Para ser um franqueado, o investimento inicial é de R$ 30 mil, com uma taxa de R$ 590 por mês.

Leia também: Crédito certo para sua empresa: saiba como escolher!

E aí, gostou dessas histórias? Se identificou com alguma?

Esperamos ter inspirado você a empreender e tirar seus planos do papel, com esses exemplos de sucesso dessas pequenas empresas. Lembre-se que é importante ter a coragem de dar o primeiro passo, mas se você ainda não tem o dinheiro necessário para começar, avalie as opções de crédito existentes no mercado e caso decida usar um empréstimo, seja de forma consciente e planejada. 

 

Deixe o seu comentário