Carregando

Open Finance: como o Topázio está se preparando

Por banco-topazio | 13 de julho de 2021

Saiba como estão sendo os trabalhos de preparação para a chegada do Open Finance no Topázio

A implementação do Open Banking (sistema financeiro aberto – agora chamado Open Finance) vem sendo realizada de forma gradual. Os processos foram divididos em 4 fases e a expectativa do Banco Central do Brasil (BACEN) é de que o cronograma seja finalizado até dezembro. A primeira fase iniciou em 1° de fevereiro e a segunda está chegando em agosto e, dessa forma, as instituições estão se preparando para a implementação do sistema. No Topázio, os trabalhos já estão sendo realizados intensamente.

De acordo com o nosso gerente de produtos, Hilbert Mondragon, o Topázio entrará no sistema a partir de agosto, quando inicia a terceira fase. E, na sequência, também fará as adequações de acordo com as exigências da quarta fase. A  implementação da primeira e da segunda fase do Open Finance será organizada no Topázio em 2022, ou em outro momento caso o BACEN venha a alterar os normativos legais. “Vamos, primeiramente, atender ao escopo regulatório e já estamos estruturando times, selecionando um parceiro para nos auxiliar e no próximo ano vamos estudar o sistema profundamente, além de analisar como o mercado vai se comportar no segundo semestre”, explicou Hilbert.

Open Finance como o Topázio está se preparando_Banco Topázio

Gerente de Produtos, Hilbert Mondragon

Segundo ele, o Topázio estruturou uma squad voltada exclusivamente para o Open Finance e, aos poucos, o time está crescendo. “Estamos selecionando um fornecedor específico que oferece o modelo (SAAS) Software AS A Service pois precisamos começar os desenvolvimentos em breve. O início da fase 3 é em 30 de agosto”, declarou. Ou seja, a expectativa é de que toda a estrutura chegue a um estágio avançado em dois meses. 

Terceira fase do Open Finance

Mesmo com a aceleração dos trabalhos, Hilbert explicou que o BACEN dividiu a terceira fase do Open Finance em várias entregas (ou MVPs), sendo que a primeira contempla especificamente o transacional do Pix. O escopo total da fase 3 ainda inclui TED, Débito em Conta, Pagamentos de Boletos e Contas, Transferências Internas e mais o Encaminhamento de Proposta de Crédito. Agora o Topázio aguarda pela definição do BACEN para as próximas entregas.

“Estamos nos preparando para este momento, todos os fornecedores que estamos selecionando, conversando, já estamos escolhendo uma plataforma que esteja habilitada para todas as fases”, enfatizou Hilbert. A expectativa do time, de acordo com ele, é que o Open Finance trará ganhos significativos com relação a produtos e serviços, pois todo o sistema é baseado em dados e precisamos trabalhar com eles. “Vamos conseguir ser mais competitivos, entender as necessidades dos clientes. E, dessa forma, oferecer exatamente o que eles precisam, mas é importante lembrar que o poder da informação está na mão do usuário final”, afirmou.

Quer receber conteúdos como esse por email? Inscreva-se na nossa newsletter!
É só preencher seus dados no final da página.

Portanto, Hilbert ressaltou que o processo vai aumentar a competitividade das instituições de uma forma brusca. “Quem não for competitivo, não vai conseguir sobreviver no mercado e tudo isso passa por uma mudança bastante cultural”, sinalizou. Para saber mais sobre o Open Finance, confira o vídeo do BACEN a respeito do tema:

Deixe o seu comentário