Carregando

CCME Topázio: 1º ano de operações tem resultados positivos

Por banco-topazio | 19 de abril de 2021

Confira como foi o lançamento do produto, destaques do primeiro ano de operações da CCME e quais as perspectivas para 2021

Em abril as nossas operações de Conta Corrente em Moeda Estrangeira (CCME) completam 1 ano. A CCME é uma opção para que empresas, corretoras, pessoas físicas e demais agentes autorizados efetuem com rapidez e praticidade seus negócios na área do comércio exterior.  Essa modalidade permite ter uma conta no Brasil que movimenta dólar, euro e outras moedas além do real, e é essencial para as corretoras conseguirem liquidar suas operações em moeda estrangeira.

Das 68 corretoras que operam no mercado brasileiro, 40 já estão aqui no Topázio. Ou seja, pelo menos 67% do mercado realiza operações cambiais conosco e mais de 20 corretoras são atuantes na CCME. De acordo com os nossos consultores de câmbio, Rogério Silva e Thiago Peixoto, os resultados foram positivos desde o primeiro mês das operações. E no fim do ano, o balanço apontou uma movimentação 365 vezes maior do que no início. O que representa, portanto, um crescimento constante, significativo e reforça a importante participação no mercado.

CCME: Proximidade e parceria com as corretoras

O processo operacional da CCME aqui no Topázio foi colocado em prática pelos consultores. A experiência da dupla agregou ao time no momento da criação do produto. “Avaliamos as possibilidades e as necessidades do mercado. São poucos os bancos que oferecem o produto, hoje no Brasil. Como já tínhamos um banqueiro no exterior, isso permitiu que começássemos a CCME”, explica Peixoto.

Os trabalhos têm sido constantes desde então, tanto no início da fase de testes e pilotos, quanto na própria evolução do produto em si. A aproximação com as corretoras ajudou a mapearmos as reais necessidades do produto no mercado. E, a partir disso, foram feitos investimentos em novas tecnologias. 

“Tivemos muita contribuição de corretoras, foi uma parceria mútua”, afirma Peixoto. Esse retorno também foi fundamental para a criação de um Internet Banking (IB) personalizado e adaptado com funcionalidades específicas, voltadas para as necessidades dos clientes. Para Silva, o feedback dos clientes também foi um fator importante ao longo do primeiro ano de CCME. “Essa proximidade foi determinante para a CCME estar sendo tão importante e funcionando tão bem no Topázio”, destaca.

Quer receber conteúdos como esse por email? Inscreva-se na nossa newsletter!
É só preencher seus dados no final da página.

Perspectivas para o mercado cambial

De acordo com os nossos consultores de câmbio, as perspectivas da CCME para o mercado cambial “são as melhores possíveis”. Principalmente por conta dos limites das operações, que vêm sendo atualizados desde o ano passado. As corretoras, por exemplo, triplicaram as possibilidades e o leque de negócios que podem ser fechados em suas posições.  

Segundo Silva, a Associação Brasileira de Câmbio (Abracam) tem procurado aumentar ainda mais o limite e também definir mudanças operacionais no mercado. “A Abracam também está entrando com um novo modelo de certificação, que deve dar ainda mais credibilidade ao mercado de corretoras”, explica.

Silva complementa que isso provavelmente vai ter reflexos positivos dentro do Banco Central do Brasil (BACEN). E colaborar para que as corretoras tenham ainda mais possibilidades de atuação. Da mesma forma, as perspectivas são positivas para o Topázio. “A CCME deve ser um dos principais produtos do Banco e a tendência é que os investimentos aumentem ainda mais”, afirma. A previsão, ainda, é de que haja um aumento de 15% a 25% nas operações.

O primeiro ano da CCME foi muito positivo. E os próximos doze meses devem continuar registrando fluxo intenso das operações. Além disso, a proximidade com os parceiros será reforçada. “Nosso objetivo é seguir prestando o melhor atendimento, com proximidade e flexibilidade. E expandirmos nossa base de clientes, produtos e diversidade de moedas.”, finaliza Silva.

Leia mais sobre CCME aqui: 

> Conta corrente em moeda estrangeira (CCME): o que é e como funciona no Brasil

Deixe o seu comentário