Carregando

Vendas online com mais de 135 mil novas lojas durante a pandemia

Por banco-topazio | 6 de agosto de 2020

Demanda por vendas online aumentam faturamento do setor, mas é preciso planejamento para montar a loja virtual. 

O confinamento inevitável provocado pela pandemia de coronavírus e o fechamento de lojas físicas em segmentos considerados não essenciais pelos governos estaduais e prefeituras, tem um impacto grande sobre a economia.

No entanto, outro tipo de canal de vendas tem vivido um crescimento acelerado: o de vendas virtuais, o e-commerce. De acordo com a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), desde o início da pandemia até julho, mais de 135 mil lojas aderiram ao comércio eletrônico para efetuar suas vendas. Antes das medidas de restrição relacionadas ao coronavírus, a média mensal era de 10 mil novas lojas por mês.

Segundo a associação, o crescimento não envolve apenas comércio e serviços não considerados essenciais pela legislação, como o segmento de moda, mas também o de alimentos, já que as alternativas de delivery se multiplicaram e os gastos com entregas cresceram mais de 94% no mesmo período.

Além da alta no registro de novas lojas virtuais, também o segmento vem obtendo um faturamento maior: o mês de abril, em comparação ao mesmo período do ano passado, faturou 98,74% a mais com vendas eletrônicas, segundo o Comitê de Métricas da Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico (camara-e.net). 

Planejamento auxilia na estruturação do canal de vendas online

A migração para o varejo eletrônico também gera demanda para plataformas de lojas virtuais, e a criação de novos domínios – que são o endereço dos sites na internet. As vendas ocorrem também via WhatsApp, redes sociais, como Facebook e Instagram e por telefone, que ajudam a dar uma sobrevida principalmente aos pequenos negócios.

E falando em vendas por redes sociais, aproveite e confira dicas para fidelizar seu público e aproximar novos consumidores da sua marca neste vídeo da série Mudar pra Superar, do Banco Topázio.

No entanto, a crescente demanda pelo e-commerce exige, como todas as inovações, planejamento para assegurar uma operação bem estruturada, capaz de atender bem ao público que busca produtos e serviços, independentemente do canal de venda escolhido.

Estas dicas sobre como montar uma loja virtual eficiente contém pontos como a organização da loja virtual, a apresentação dos produtos e disponibilização de informações, a fidelização do cliente, além da divulgação e promoção do negócio e dos produtos à venda.

Igualmente, entidades como o Sebrae também oferecem cursos gratuitos e até uma mentoria online voltada especificamente para alavancar vendas digitais.

Com informação confiável e uma migração estruturada, é possível aproveitar as oportunidades geradas pelo crescimento do setor, que deve se consolidar e se manter mesmo após a pandemia e trazer tendências para o desenvolvimento desses canais de venda.

Quer receber conteúdos como esse por email? Inscreva-se na nossa newsletter! É só preencher seus dados no final da página.

Acompanhe aqui mais conteúdos sobre mercado do blog Mais Negócio.

 

 

 

Deixe o seu comentário