Carregando

Tendências do varejo: quais as novidades e oportunidades para 2021

Por banco-topazio | 7 de janeiro de 2021

A pandemia trouxe uma série de mudanças em diversos setores da economia. Veja quais as principais tendências do varejo em 2021

 

O ano de 2020 foi atípico em diversos sentidos. Pandemia, crise econômica e um cenário de incertezas. Mas entre os diversos aprendizados que esse ano trouxe, talvez a palavra adaptação seja uma das mais fortes. Não só os brasileiros, mas pessoas no mundo inteiro tiveram que criar estratégias para sobreviver. Quando se pensa no cenário empresarial, muitas empresas tiveram que modificar seus negócios e criar novas estratégias para se manterem ativos.

 

O segmento do varejo, especialmente, passou por diversas transformações. O aumento das vendas online, a explosão do e-commerce no Brasil, as novas formas de pagamento proporcionadas pelo lançamento do Pix são alguns exemplos. 

 

No ano de 2021, espera-se a consolidação de modelos adotados em 2020 e algumas novidades também. Enquanto o mundo inteiro espera a chegada da vacina e a recuperação econômica, os negócios precisam estar atentos às tendências para se manterem fortes em meio a esse cenário.

 

Confira algumas previsões e tendências do varejo em 2021

 

Vendas online em expansão

As medidas de restrição social que fizeram com que muitas pessoas evitassem sair de casa impulsionaram as vendas online. Muitos brasileiros que ainda não tinham o hábito de comprar pela internet acabaram aderindo aos meios digitais. Segundo o Mercado Pago, 64% dos consumidores que fizeram suas primeiras compras online em 2020 pretendem seguir com esse hábito – mesmo quando a situação da pandemia se normalizar. E esse é um grande indicativo de que as transações digitais devem continuar em expansão em 2021. Diante disso, os varejistas que apostarem em estratégias para fortalecer a presença digital e impulsionar as vendas online tendem a ter mais sucesso. E isso vale também para os pequenos varejistas.

Quer receber conteúdos como esse por email? Inscreva-se na nossa newsletter!
É só preencher seus dados no final da página.

Marketplaces e dropshipping

Outra tendência das vendas online são os marketplaces e dropshipping. Conforme o nosso Mercado Pago, hoje, os marketplaces já têm participação de 78% no faturamento total do e-commerce brasileiro e são responsáveis por atrair pequenos e médios empreendedores para o mundo digital.

 

Marketplace é um e-commerce, mediado por uma empresa, em que vários lojistas se inscrevem e vendem seus produtos. Essa loja virtual funciona de forma que o cliente pode acessar um site e comprar itens de diferentes varejistas, pagando tudo junto, em um só carrinho. A principal diferença entre uma loja virtual e um marketplace é que enquanto a primeira só tem um dono; a segunda reúne várias lojas. O Mercado Livre um dos marketplaces mais relevantes do Brasil, por exemplo.

 

Já Dropshipping é um método de vendas no qual o vendedor não mantém nenhum produto em estoque. É como uma vitrine terceirizada. Ou seja: o dono da loja atua como um intermediário para a compra e é responsável somente por efetuar questões de marketing e vendas. E todos os processos de reserva e entrega são realizados pelo fornecedor original. Leia mais sobre como funciona aqui.

 

Live Shopping

Tendência na China, as live shoppings chegaram ao Brasil em junho de 2020 e ganharam força com a pandemia. Trata-se de uma forma de utilizar a tecnologia de transmissão ao vivo com o objetivo de realizar vendas. Por meio de transmissões em tempo real nas redes sociais, como Instagram e Youtube, os usuários podem adquirir produtos instantaneamente durante a live. Com esse recurso, a câmera se torna uma vitrine e permite que o vendedor mostre detalhes de produtos, suas aplicações, embalagens e os diferenciais da marca de maneira interativa com o público. Veja como utilizar as live shoppings em seu negócio e alguns cases de sucesso no Brasil

 

Novas formas de pagamento 

Com o lançamento do Pix, em novembro de 2020, as compras no varejo devem se tornar mais ágeis. Pela ótica do pagador, as compras online, que em muitos casos são pagas  via boletos, podem ter seus prazos de entrega reduzidos se o meio de pagamento escolhido for o Pix. Isso porque as transações ocorrem de maneira instantâneas, 24 horas por dia nos sete dias da semana. Inclusive aos feriados. Já para quem recebe, é uma forma de ter o valor entrando de forma mais rápida na conta. Além de representar uma possibilidade no aumento das vendas, pois oferece uma forma mais ágil e prática para os consumidores.

 

Além do Pix, há a previsão do lançamento dos pagamentos via Whatsapp ainda no primeiro trimestre de 2021. 

 

Loja física e virtual

Com a redução da circulação das pessoas nas ruas, algumas mudanças vêm ocorrendo nas lojas físicas. Uma delas é a integração com o ambiente virtual.

 

Por exemplo: a realização da compra online e retirada na loja física. Para as marcas, essa opção é importante pois garante o tráfego na loja física, possibilitando oferecer outros produtos, serviços ou experiências que o ambiente virtual não permite. 

 

Nestes casos, uma dica é investir nos espaços. Muitos lojistas devem apostar em marketing sensorial, utilizando cores, ambientação sonora e até aromas. O objetivo é deixar as pessoas à vontade e proporcionar um local agradável ao público. 

 

Autoatendimento

Cada vez mais comuns, as opções de autoatendimento devem ganhar ainda mais força em 2021. As lojas podem oferecer aos clientes a possibilidade de realizar seu próprio pagamento ou qualquer outra solicitação sem necessidade de contato com vendedores ou atendentes. É uma das medidas adotadas para reduzir o contágio e garantir o distanciamento em tempos de pandemia. Além disso, a digitalização do atendimento pode evitar filas, dar mais autonomia ao cliente e agilizar o processo de compra.

 

Com essas dicas de tendências do varejo, aproveite o início do ano novo para pensar em estratégias para o seu negócio e alavancar as suas vendas em 2021.

 

Deixe o seu comentário