Carregando

Segurança digital: a importância da proteção de dados nas empresas

Por banco-topazio | 8 de fevereiro de 2021

Entenda quais são os riscos dos ataques cibernéticos e confira dicas para fortalecer a segurança digital na sua empresa

 

O crescimento dos ataques cibernéticos, especialmente durante a pandemia da Covid-19, acendeu um alerta para a segurança digital ou segurança da informação. Os ataques, por sua vez, são feitos por hackers que pretendem danificar ou corromper uma rede ou sistema.

 

Por conta do isolamento social, muitas empresas adotaram o regime de trabalho remoto e, com isso, o desafio foi ainda maior. Em muitos casos as empresas encaminharam os equipamentos de trabalho para os funcionários, mas os acessos são feitos a domicílio. Ou então os colaboradores utilizam computadores próprios, com acesso à rede da empresa, o que também exige cuidado. 

 

Foi também com a ampliação do trabalho remoto que a VPN (Virtual Private Network) passou a ser ainda mais utilizada. A VPN, ou Rede Privada Virtual, é capaz de conectar, através da internet, redes distantes e remotas.

 

Para garantir que as informações de clientes e os próprios dados particulares da empresa estejam protegidos dos ataques, é preciso que todos estejam atentos a políticas de segurança e boas práticas para garantir a segurança dos acessos.

 

40% das empresas brasileiras não adotam medidas de segurança

 

De acordo com pesquisa da Kaspersky, 40% das empresas brasileiras não contam com uma política de cibersegurança. O estudo indica a quais riscos as empresas e os funcionários estão expostos por não implementarem medidas de proteção contra golpes virtuais.

 

O relatório revela ainda que somente 45% das organizações brasileiras implementaram regras para essa área. Os outros 15%, apesar de já as terem, não informam aos profissionais sobre as obrigações. 

 

Além disso, 49% dos funcionários brasileiros revelaram acessar a rede interna da empresa que trabalham tanto no computador corporativo quanto em seus dispositivos pessoais e, em média, 12% não possuem soluções de segurança para manter os dispositivos protegidos contra ciberameaças.

 

Dicas para fortalecer a segurança digital da sua empresa

 

Para fortalecer a segurança digital no ambiente corporativo é fundamental que alguns pontos sejam levados em conta. O principal é atuar na prevenção dos ataques. Eventualmente uma possibilidade a ser avaliada é o investimento em um serviço especializado. Mas mesmo que isso não seja feito, é possível adotar internamente algumas medidas de segurança. Portanto, confira alguns exemplos:

 

> Orientar os funcionários sobre abertura ou armazenamentos de arquivos de e-mails ou links desconhecidos;

> Realizar treinamentos e capacitações no sentido de aprimorar o conhecimento dos funcionários sobre segurança digital;

> Utilizar provedores confiáveis e, se possível, criptografia;

> Orientar sobre o uso de softwares legítimos e baixados de fontes oficiais, além de mantê-los atualizados;

> Garantir que todas as máquinas estejam equipadas com antivírus e realizar varreduras constantes no sistema;

> Incentivar os colaboradores a adotarem senhas de acesso complexas, com números, letras maiúsculas e caracteres especiais;

> Investir em programas de governança e gerenciamento de riscos;

> Criar backups de informações em ambiente externo;

> Desenvolver política de segurança da informação.

Quer receber conteúdos como esse por email? Inscreva-se na nossa newsletter!
É só preencher seus dados no final da página.

 

A Lei Geral da Proteção de Dados e a responsabilidade das empresas

 

Também no âmbito da segurança digital está a Lei Geral da Proteção de Dados (LGDP) – (Lei Federal 13.709/18). Ela está em vigor desde setembro de 2020.

 

A lei busca assegurar o direito à privacidade e à proteção de dados pessoais dos usuários. Bem como estabelecer regras claras sobre tratamento das informações.

 

Logo, as relações comerciais e de consumo serão impactadas pela LGPD, pois demandam coleta de dados, sobretudo diante da crescente tendência de tratamento de dados pessoais de clientes e/ou consumidores com a finalidade de traçar seu perfil, identificando diversas informações, em especial hábitos de consumo e condições financeiras e de crédito.

 

Dessa forma, a LGPD prevê que as empresas devem adotar medidas de segurança, técnicas e administrativas aptas a proteger os dados pessoais dos clientes contra acessos não autorizados e de qualquer forma de tratamento inadequado ou ilícito.

 

A ANPD (Autoridade Nacional de Proteção de Dados) poderá aplicar penalidades aos órgãos, entidades e empresas que lidam com o tratamento de dados. Sua vigência deve ocorrer em 1º de agosto de 2021.

 

Clique aqui para saber mais detalhes sobre a LGPD e quais os principais impactos da legislação.

 

Confira também o vídeo do canal da FecomercioSP sobre os principais riscos e qual a importância da segurança da digital (segurança da informação) para micro e pequenas empresas.

 

Deixe o seu comentário