Carregando

Open Finance: quais as diferenças nas transações financeiras

Por banco-topazio | 28 de outubro de 2021

Entenda o que deve mudar nas transações financeiras com o Open Finance

O Open Finance está diretamente ligado à tecnologia. Com o uso de APIs abertas, o sistema vai permitir o fluxo de troca de dados de clientes entre as instituições de forma ágil e segura, facilitando a integração. Em outras palavras, é por conta do uso da tecnologia que a usabilidade do sistema será ainda mais intuitiva tanto para usuários, quanto para as instituições participantes. 

É justamente a partir das tecnologias presentes no sistema que será possível viabilizar o compartilhamento de dados. Essa característica, de acordo com o nosso Product Owner de Originação & Canais, Douglas Salazar, é o grande diferencial do Open Banking, ou Open Finance como agora está se propondo a ser chamado. “Com isso, diferentes bancos poderão saber detalhes sobre o comportamento financeiro dos clientes – com consentimento – e  poderão também ofertar produtos com taxas interessantes, o que antes só podia ser feito pelo banco próprio de cada cliente”, afirma.

A implementação do Open Finance está acontecendo de forma gradual, os processos serão em 4 fases e o Banco Central do Brasil (BACEN) espera finalizar o cronograma até dezembro. O compartilhamento de dados iniciou na 2ª fase do sistema.

As diferenças das transações no Open Finance

As principais mudanças nas transações financeiras são os destaques da 3ª fase do Open Finance. Segundo Salazar, uma delas é a possibilidade de realizar pagamentos utilizando o canal de qualquer instituição, mas podendo utilizar recursos de outra instituição. “Por exemplo: você está no canal do Banco A, e pode utilizar este canal para usar o recurso do Banco B. Neste momento somente  Pix, mas futuramente TED e outros serviços”, destaca.

A 3ª fase também inclui transações de Pix por iniciadores de transação de pagamento, com a entrada gradual dos demais arranjos de pagamento. Abaixo cronograma divulgado pelo BACEN: 

29/10/21 – Pagamento com Pix

15/02/22 – Pagamentos com TED e transferência entre contas na mesma instituição

30/06/22 – Pagamento de boletos 

30/09/22 – Pagamentos com débito em conta

Conforme Salazar, aqui no Topázio estamos trabalhando na fase 3, onde engloba transações Pix. Primeiramente, nas fases 1 e 2 foi tratada a questão do compartilhamento de dados. “O que vem pela frente? Investimento, seguros e crédito, e com isso há uma interação bem forte com outras instituições como a Superintendência de Seguros Privados (Susep), por exemplo”, reitera.

Quer receber conteúdos como esse por email? Inscreva-se na nossa newsletter!
É só preencher seus dados no final da página.

Dessa forma, Salazar ainda ressalta que o grande propósito do Open Finance é a democratização dos serviços, ou seja, possibilitar que instituições menores consigam chegar em clientes que antes somente os grandes bancos atendiam. Portanto ,segundo ele, isso tudo através do compartilhamento dos dados. “Por isso a consequência é que um trabalho voltado para Data Science é esperado e necessário para que isso aconteça”, pontua.

Leia mais detalhes sobre o Open Finance e saiba os impactos do sistema no Brasil: 

> Novo nome: por que o Open Banking será chamado de Open Finance

> Open Banking: o que muda com a regulamentação

> APIs x Open Finance: confira a relação entre a tecnologia e o sistema

Deixe o seu comentário