Carregando

Emissão de boleto bancário: saiba como funciona para as empresas

Por banco-topazio | 3 de fevereiro de 2020

A emissão de boleto bancário é das modalidades de pagamento mais procuradas pelos consumidores

 

Para atrair a atenção dos consumidores e fidelizá-los, seu negócio deve oferecer produtos e serviços de qualidade, atendimento de excelência, enfim, uma jornada de compra satisfatória. Para isso, proporcionar opções de pagamento que facilitam a vida dos clientes é essencial.

Entre tantas formas de pagamento, de acordo com uma pesquisa realizada pelo E-Commerce Brasil, 75% da população escolhe o boleto bancário como a modalidade preferida na hora de finalizar suas compras. Ainda segundo a Federação Brasileira de Bancos (FEBRABAN), são gerados cerca de 3,6 bilhões de boletos anualmente no Brasil. Portanto, trabalhar com essa modalidade de pagamento torna seu negócio mais competitivo no mercado à medida que vai se mostrando mais interessante e prático para os clientes fecharem uma compra.

Se você quer proporcionar aos consumidores a opção de boleto bancário, mas ainda não sabe muito bem como funciona, neste artigo, reunimos informações de como operar neste modelo e quais são as vantagens desta opção para seu negócio. Confira:

 

Como funciona o pagamento por boleto

No Brasil, empresas e pessoas físicas podem emitir esses títulos de cobrança de valores. Portanto, é uma tarefa bastante simples, basta ter uma conta corrente. Alguns bancos tradicionais exigem que a pessoa vá até a agência para habilitar essa função na sua conta. Porém, nos bancos digitais, é possível fazer isso no celular mesmo, apenas com alguns cliques.

Qualquer banco ou estabelecimento conveniado pode receber o pagamento do boleto até a sua data de vencimento. Alguns boletos podem trazer, ainda, orientações para que o portador do título possa quitá-lo mesmo após a data de vencimento, acrescentando valor de juros, multas e demais condições.

Os clientes podem realizar o pagamento dos boletos em casas lotéricas, postos dos Correios, caixas eletrônicos e até mesmo pela internet, pelos aplicativos ou internet banking. Quando o banco recebe o pagamento, ele credita o valor na conta bancária da empresa dentro do período de compensação estabelecido em contrato, debitando a taxa ou percentual acordado previamente pelo serviço, quando for o caso.

 

Leia também: Pagamento peer-to-peer(P2P) como essa tecnologia pode auxiliar o seu negócio

 

Como a empresa pode emitir boleto

No caso das empresas, para que seja possível emitir boletos para clientes, além de ter uma conta corrente, também é necessário ter uma carteira de cobrança junto ao banco de sua escolha. Para a emissão, as empresas têm duas alternativas: a primeira é realizar a emissão do boleto bancário diretamente no site do banco onde você tem vínculo, pelo internet banking.

A segunda é contar com uma plataformas de intermediação de cobrança, que são bastante utilizadas por profissionais que atuam de forma autônoma e querem emitir boletos. Para incluir esta modalidade de pagamento ao seu negócio, os procedimentos são simples. Abaixo, listamos os principais processos para fazer a emissão:

– Abra uma conta corrente compatível com a emissão do boleto, ou solicite a inclusão desse serviço ao seu banco, ou escolha plataforma para emissão do boleto;

– Reúna dados da empresa e do cliente;

– Siga os passos de geração da cobrança da ferramenta escolhida por você a fim de obter o documento;

– Imprima ou encaminhe um link com o documento ao cliente para que ele tenha acesso ao boleto.

 

O que o boleto bancário quer dizer?

Uma dúvida bastante comum aos varejistas que estão começando a emitir os boletos é sobre o preenchimento correto dos campos do documento. Lembrando que é muito importante que estes dados sejam completados corretamente,  pois são eles os responsáveis para que o pagamento chegue ao destino certo. De forma resumida, segue o que cada campo quer dizer para orientar o preenchimento adequado:

 

Cedente: é a empresa ou pessoa física que emite o documento. No pagamento do boleto, é na conta bancária do cedente que serão creditados os valores.

Sacado: é o cliente responsável por executar o pagamento do valor descrito no título, normalmente, o cliente final ou outra empresa que realizou a compra no estabelecimento cedente.

Sacador/avalista: nome e CPF ou CNPJ da pessoa que irá receber o pagamento.

Agência e código cedente: são os números correspondentes à agência e à conta corrente onde será depositado o valor pago pelo sacado ao cedente.

Valor do documento: valor total que deverá ser pago pelo título.

Data de vencimento: dia, mês e ano limites para o pagamento do boleto sem a cobrança de juros ou multas.

Multa e juros: em alguns boletos, podem estar previstos valores excedentes, que serão cobrados caso o sacador efetue o pagamento após a data de vencimento.

Nosso número: é uma sequência de dígitos que identifica o documento e carrega todas as informações registradas junto ao banco. O tamanho do número também varia conforme o banco e a carteira de cobrança, mas é único, não podendo ser repetido.

Linha digitável: é o número que vem com o código de barras, sendo composto por 48 números, que são divididos em 5 grupos diferentes. Cada algarismo da sequência tem um significado específico que permite o pagamento.

Código de barras: é a representação da linha digitável para máquinas que leem código de barras, como caixa eletrônicos e até mesmo smartphones. Existem diversos padrões de código de barras que criam uma figura única de identificação, como seu fosse a “impressão digital” do boleto bancário.

 

Tipos de boleto

Atualmente, existem três tipos de títulos que a sua empresa pode emitir para os consumidores, dependendo das particularidades do seu negócio e do valor da compra. O boleto registrado é o mais conhecido. Nele, devem constar obrigatoriamente, todas as informações, incluindo nome e CPF ou razão social e CNPJ do comprador, valor da negociação e data de pagamento para conhecimento do banco.

Este tipo de boleto é válido para a maioria das negociações, todavia, as informações do consumidor devem constar apenas para situações em que o produto tenha sido entregue ou o serviço tenha sido prestado anteriormente, e não para compras em e-commerces, por exemplo, em que o produto só é liberado após o pagamento e não existe a necessidade destas informações para a contestação.

O boleto recorrente permite que uma cobrança frequente seja gerada de forma automática. Assim, o cliente recebe o boleto conforme a periodicidade estipulada na hora da compra, sendo comumente utilizado para compras parceladas.

Já o carnê é caracterizado por uma série de boletos gerados de uma só vez, porém, para datas de vencimento diferentes, sendo bastante utilizado para compras com valores muito altos.

 

Boleto x Cartão de Crédito

Uma pesquisa realizada pelo Instituto Locomotiva revela a existência de 45 milhões de brasileiros desbancarizados. O boleto bancário é uma modalidade de pagamento que atende a esta parcela dos consumidores que não tem vínculo com nenhum banco e não realiza compras com cartão, seja ele de débito ou crédito.

Além disso, o boleto continua sendo vantajoso para empresas e também para os consumidores, já que é uma alternativa rápida, simples e barata comparada a demais opções disponíveis. Veja algumas vantagens:

 

– Reduz custo da cobrança em comparação com tarifas de operadoras de cartão de crédito, que têm taxa de administração, aluguel de máquina, por exemplo.

– Cálculo facilitado de multas e juros, em caso de atraso, e a possibilidade de emissão de uma segunda via de forma facilitada.

– Os pagamentos com boletos são realizados à vista, com o recebimento do valor pago em um prazo máximo de até dois dias após o efetivo pagamento. Com cartão, o prazo é de até 30 dias.

– Permite um maior controle da inadimplência dos clientes com a possibilidade de protesto, em caso de não pagamento.

Como você pode conferir neste artigo, a emissão de boleto bancário é muito vantajosa para a sua empresa e fácil de implementar, se você contar com um parceiro financeiro. Agora que você já sabe o que é um boleto, conhece as suas principais características e sabe como emitir o documento, que tal colocar todo esse conhecimento em prática?

 

Leia também: PIX: um meio de pagamento que vai revolucionar o mercado

Deixe o seu comentário