Carregando

Pagamentos digitais: pesquisa aponta tendências e hábitos dos consumidores

Por banco-topazio | 5 de março de 2021

Confira as tendências para os pagamentos digitais em 2021 e como elas devem impactar o mercado financeiro no Brasil

O crescimento das vendas pela internet e as transações por aproximação estão desenhando o cenário de pagamentos digitais para 2021. Os apontamentos fazem parte de um estudo da Visa, que analisou o comportamento dos consumidores durante a pandemia da Covid-19.

A pesquisa revelou que 13 milhões de usuários de cartões da América Latina e Caribe começaram a fazer compras online no primeiro trimestre de 2020. Além disso, o número de cartões com a funcionalidade de pagamento por aproximação da Visa triplicou. Nesse caso se comparado ao mesmo período do ano anterior. 

O pagamento por aproximação, no Brasil, alcançou o marco de 7 milhões de transações mensais Visa em dezembro de 2019, de acordo com a Visa Consulting & Analytics. Esse crescimento tem sido exponencial. Quando comparados os meses de março de 2019 com março de 2020, o crescimento do uso de cartões com pagamento por aproximação no país foi cinco vezes maior de um ano para outro.

Outra conclusão da pesquisa é que o comportamento do consumidor está se transformando por conta da pandemia. Ou seja, usuários que antes não eram adeptos das compras pela internet, migraram seus gastos para o ambiente digital.

Os hábitos de consumo também acompanham as transformações no mercado financeiro viabilizadas pelo Pix, novo meio de pagamentos instantâneos. A funcionalidade está possibilitando que transações sejam feitas de forma simples, em tempo real. Desta forma, proporcionando maior acessibilidade a todos os usuários.  

Insights do estudo sobre as percepções dos consumidores

Principalmente durante a pandemia, os pagamentos digitais têm sido considerados como o método preferencial de compra. No último trimestre, o cartão de débito foi a forma de pagamento mais usada, chegando a 72% das vezes. Seguido do cartão de crédito (63%) e, por fim, o dinheiro (44%).

Os pagamentos centrados no consumidor (métodos digitais, como online, carteiras digitais, cartões e P2P, por exemplo) já caminhavam para ser tendência. Desde o início da pandemia, porém, houve um aumento no uso de pagamentos com carteiras digitais e P2P (pessoa a pessoa) – o método de pagamento preferencial de 12% e 30% dos consumidores, respectivamente.

Um balanço da Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs) indica que, no acumulado de janeiro a setembro de 2020, os pagamentos por meios digitais chegaram a R$ 1,38 trilhão. Foram 16,3 bilhões de transações. Sendo R$ 306,9 bilhões em compras não presenciais e R$ 22,7 bilhões em pagamentos por aproximação.

Os consumidores estão considerando que comprar online é seguro. No estudo, 39% disseram que ‘evitar contato’ foi o critério para comprar online. E só 26% dos pesquisados consideram essa a forma mais prática de comprar produtos e serviços.

Quer receber conteúdos como esse por email? Inscreva-se na nossa newsletter!
É só preencher seus dados no final da página.

Tendências para 2021

O aumento dos pagamentos digitais e das transações por aproximação estão entre as tendências para o mercado em 2021. Os hábitos dos consumidores vieram para ficar. Além disso, o aumento das ofertas de soluções tecnológicas por parte das empresas também parecem acompanhar as demandas. As modernizações podem beneficiar simultaneamente emissores, estabelecimentos comerciais, consumidores e redes de pagamento.

Confira outros insights apontados pela pesquisa, que devem acompanhar esse crescimento e estão previstos para esse cenário:

> Crescimento do e-commerce: o aumento das compras online deve seguir um ritmo semelhante ou ainda mais acelerado;

> Reforço dos benefícios extras do pagamento eletrônico: os consumidores que optarem pela modalidade de pagamento eletrônico poderão ter retornos exclusivos, como descontos, por exemplo;

> Ampliação da opção pelo débito online: para evitar o uso do dinheiro físico, os consumidores devem seguir utilizando cada vez mais a opção do débito online;

> A adoção, por parte das empresas, de marketplaces (lojas virtuais): mesmo que o fluxo de pessoas volte ao normal nas ruas, a presença digital das empresas será cada vez maior;

> A expansão dos investimentos em segurança digital pelas empresas: para garantir transações virtuais confiáveis, os empresários devem investir cada vez mais na segurança digital;

> O aumento do uso de moedas digitais e emissão por bancos centrais e também de criptomoedas e carteiras digitais.

Com relação à tendência das moedas digitais, no Brasil o Banco Central está estudando a possibilidade de emissão de uma moeda digital, o que poderá provocar reflexos diretos para as transações financeiras e as relações de consumo. Confira também as principais tendências de marketing digital para alavancar seu negócio em 2021.

Deixe o seu comentário