Carregando

IRPJ: 5 dicas para economizar no Imposto de Renda Pessoa Jurídica

Por banco-topazio | 10 de março de 2022

Como as empresas podem diminuir a contribuição para o IRPJ e quais despesas são dedutíveis

Com as altas cargas tributárias presentes no Brasil, é importante estar atento para que os impostos não acabem pesando nas contas da empresa. A gestão tributária é um elemento central na administração, e pode fazer a diferença na hora de passar a régua nas despesas, por meio de um planejamento adequado.

Um dos caminhos para deixar os tributos um pouco mais leves é economizar no Imposto de Renda para Pessoa Jurídica (IRPJ), cuja declaração em geral é feita trimestralmente. O IRPJ incide diretamente sobre a arrecadação, conforme o regime de tributação escolhido pela empresa (Simples Nacional, Lucro Real, Lucro Presumido ou Lucro Arbitrado).

Para reduzir a carga do IRPJ, alguns passos simples podem ser seguidos:

1.Escolha bem o regime de tributação

É importante que o gestor saiba escolher o regime mais adequado, entre Simples Nacional, Lucro Real, Lucro Presumido ou Lucro Arbitrado, sobre os quais incidem taxas diferentes. A decisão deve ser tomada com base em informações financeiras do negócio, como a margem de lucro, a previsão de faturamento e as despesas com a operação e os funcionários. Para cada regime, há despesas dedutíveis do IRPJ específicas, que podem ser avaliadas com um profissional de contabilidade.

2.Invista em incentivos fiscais

Os incentivos fiscais são uma série de benefícios tributários que podem ser adotados pelas empresas. Há incentivos federais diferentes para muitos setores, assim como incentivos regionais e estaduais adotados por regiões específicas do país. Já os incentivos chamados setoriais, como o da Lei Rouanet, permitem que a empresa destine parte do IRPJ para projetos culturais, sendo uma boa opção para turbinar a área de marketing.

3. Redefina o pró-labore dos sócios

Se o objetivo é reduzir o IRPJ de forma mais robusta, há a possibilidade de diminuir o pró-labore dos sócios, uma vez que seu custo é elevado, pois inclui também a contribuição ao INSS. Uma alternativa ao pró-labore para a remuneração dos sócios pode ser a distribuição de lucros, que a legislação permite ser aplicada em empresas brasileiras e não conta como despesa no imposto.

4. Analise possíveis deduções

Assim como no Imposto de Renda para Pessoa Física, a empresa pode restituir valores do IRPJ. Alguns dos custos possíveis de dedução são as gratificações aos funcionários, como bônus e adicionais, custos com capacitação da equipe e ainda gastos relativos a contratação de planos de saúde e de programas de bem-estar para o ambiente laboral.

5. Recorra à recuperação tributária

É comum que empresas acabem contribuindo com valores acima do necessário, e esses impostos podem ser reembolsados. Trata-se da recuperação tributária, que deve ser pedida ao Fisco. Para realizar a recuperação, é preciso que a empresa faça um estudo contábil do histórico recente do negócio, a fim de identificar esses impostos pagos indevidamente.

Apesar da alta carga tributária presente no Brasil, com planejamento é perfeitamente possível diminuir o peso do IRPJ. Faça uma lista de medidas possíveis de serem aplicadas na sua empresa, começando pelo item mais fácil ao mais difícil. Assim, você conseguirá visualizar resultados mais imediatos, para depois conquistar os mais complexos. Quais dessas ações você pode adotar no seu negócio?

Deixe o seu comentário