Carregando

Demonstração do resultado do exercício (DRE): como calcular?

Por banco-topazio | 6 de janeiro de 2020

O documento contábil é uma ferramenta importante para a análise financeira do seu negócio

 

Para empreendedores, o termo DRE já é bastante conhecido. Isso porque a sigla se refere à Demonstração do Resultado do Exercício, que é obrigatória para as empresas brasileiras desde 2007 (Lei n° 11.638/0) e deve ser elaborada ao menos uma vez por ano.

Este documento contábil é uma demonstração do desempenho financeiro das empresas, que utiliza a análise das receitas e despesas  para mostrar um panorama das atividades empresariais em um determinado período. Para a realização eficiente do demonstrativo, é preciso que a companhia mantenha uma gestão financeira organizada para reunir as informações de forma clara e correta.

A DRE é uma ferramenta muito importante para o empreendedor. É com este documento que ele poderá conhecer os resultados de um determinado período de trabalho, além de ter uma visão geral sobre o rendimento de cada mês para  identificar o que precisa ser mudado no seu negócio e, assim, promover ações que tragam resultados melhores, bem como perceber o que está dando certo para aprimorar a prática e aumentar o lucros.

Se você ainda não está familiarizado com a DRE ou quer conhecer mais a fundo como ele é elaborado, a seguir, explicamos o que quer dizer cada campo da estrutura do demonstrativo. Confira:

 

1. Receita bruta

O primeiro campo da DRE refere-se a toda entrada de dinheiro no caixa ou no patrimônio da empresa. Dependendo da natureza do seu negócio, isso Inclui receita de vendas de produtos, prestação de serviço, recebimento de juros, royalties e dividendos etc.

 

2.Deduções e abatimentos

As deduções de abatimentos incluem todas as devoluções de vendas, descontos oferecidos e abatimentos de impostos que incidem diretamente sobre a venda, como ICMS, ISS e demais taxas cobradas.

 

3.Receita líquida

Para saber qual é a receita líquida da sua empresa, é necessário subtrair o resultado obtido nas deduções e abatimentos (item 2), do total encontrado na receita bruta (item 1).

 

4.Custo de Produtos Vendidos (CPV)/Custos de Mercadorias Vendidas (CMV)/Custo dos Serviços Prestados (CSP)

CPV, CMV e CSP apresentam gastos relativos à fabricação de um produto ou preparação de um serviço. Neste item, devem constar valores gastos com matéria-prima, distribuição, logística etc., que fazem parte dos processos de produção do seu negócio.

 

5.Lucro bruto

Lucro bruto é a diferença entre a receita bruta (item 1) e o gasto na produção de produtos ou serviços (item 3).

 

6.Despesas com vendas

Neste campo, devem ser consideradas todas as despesas com comissões e custos de pós-venda.

 

7.Despesas administrativas

Despesas fixas como contas de aluguel, água, energia, telefone, pagamento de salários e todos os gastos mensais que são necessários para manter seu estabelecimento devem entrar no item de despesas administrativas. Em caso de dúvida, considere todas as contas que devem ser pagas, independentemente dos negócios efetuados ao longo dos meses.

 

8.Despesas financeiras

Gastos com juros e multas podem ser apresentados como despesas financeiras. No caso de quem mexe com importação e exportação, variações cambiais também estão neste tópico, assim como as demais despesas que não se encaixam nos itens 5 e 6.

 

9.Resultado sem impostos

Resultado da conta até aqui, desconsiderando o impacto do Imposto de Renda de Pessoa Jurídica (IRPJ) e da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) sobre o faturamento.

 

10.Resultados com impostos

Agora, é a vez de considerar os impostos citados anteriormente, deduzindo o valor deles sobre o seu faturamento.

 

11.Resultado líquido

O resultado líquido é obtido a partir da subtração dos impostos e taxas pagas do lucro bruto. É o valor final, considerando os ganhos e descontos em determinado período.

 

Como analisar a DRE? 

Agora que você já sabe todos os itens necessários para a elaboração da DRE e como obter os valores necessários para os cálculos, é possível verificar a importância de ter um controle mensal dos seus negócios, não é mesmo? Apenas com todos os valores de despesas e receitas à mão, é possível fazer um demonstrativo coerente com a realidade da sua empresa.

Contudo, a DRE não é apenas um documento repleto de cálculos. Para que ele seja uma ferramenta usada para o bem dos seus negócios, é preciso realizar uma análise sobre as informações reunidas nele. Para esta avaliação, existem muitas formas diferentes e, aqui, vamos elencar quatro modelos principais de análise:

 

Análise vertical

A análise vertical foca no valor total, ou seja, só considera a porcentagem que é descontada do resultado final. Esta análise torna-se efetiva para conhecer melhor os valores subtraídos do lucro. Desta forma, você pode criar estratégias para reduzir essa porcentagem e reduzir as despesas.

 

Análise horizontal

Diferentemente da análise vertical, a análise horizontal é mais utilizada para comparar os valores de meses anteriores. Desta forma, é possível identificar períodos de baixa ou alta nos lucros e aprimorar as estratégias.

 

Margem bruta

A margem bruta apresenta a porcentagem de lucro obtida no ano a partir do seguinte cálculo: Margem bruta = resultado bruto / receita bruta de vendas x 100. Este tipo de análise é efetiva para comparar dados do mercado e dos concorrentes.

 

Margem líquida

A margem líquida é muito similar à margem bruta, mas trabalha com valores que já consideraram o desconto das taxas e tributos a partir de um cálculo um pouco diferente que do item anterior: Margem líquida = resultado líquido do exercício / receita bruta de vendas x 100.

A DRE pode ser realizada e analisada de diversas maneiras, e é o empreendedor que deve escolher qual é a forma que faz mais sentido para seu tipo de negócio. Elaborar o demonstrativo sozinho ou contar com a ajuda de um contador ou especialista também vai depender da complexidade da empresa e da disponibilidade do gestor.

A Demonstração do Resultado do Exercício é um documento essencial para determinar a saúde financeira de um empreendimento.  Neste link, você pode consultar um modelo gratuito de uma planilha em Excel. De posse destas informações e analisando os resultados, é possível desenvolver planejamentos estratégicos que possam melhorar ainda mais os números do seu negócio. E agora, ficou mais fácil compreender este documento tão importante?

 

Leia mais:
>>5 dicas de planejamento financeiro para seu negócio

Deixe o seu comentário