Carregando

Como fazer a gestão da folha de pagamento do seu negócio?

Por banco-topazio | 3 de fevereiro de 2020

Que é necessária uma gestão inteligente para manter a saúde do caixa da sua empresa, isso não é segredo. E isso inclui o bom gerenciamento da folha de pagamento dos colaboradores. A importância desse cuidado se dá, principalmente, para evitar multas e demais prejuízos decorrentes desta inadimplência – ou simplesmente falta de atenção.

Outro grande problema que pode acarretar na negligência com a folha de pagamento é o conflito com fornecedores de benefício, como, por exemplo, as empresas de plano de saúde, que deixam de oferecer o serviço corretamente, caso o pagamento esteja irregular.

Uma gestão eficiente da folha torna-se um processo dividido em diversas etapas, que veremos a seguir:

 

Como fazer a gestão eficiente da folha de pagamento?

 

1.Estabelecer um plano de carreira

A partir da definição de cargos e salários, é possível traçar mais especificamente o quanto e como será gasto o orçamento da organização voltado às pessoas. Isto é, proporciona um gasto consciente e muito bem estruturado, evitando qualquer tipo de uso excessivo que possa, em longo prazo, prejudicar as finanças da empresa.

Além disso, com esta maior consciência financeira, torna-se possível a automação do pagamento da folha. Isto porque, com uma estrutura fixa, o caminho da promoção de um colaborador, por exemplo, sempre passará pelas mesmas etapas. Assim, a previsão de como a folha estará daqui um, dois ou mais anos fica mais precisa.

 

2. Ter reserva de caixa

Também é preciso levar em conta despesas extras – e, muitas vezes, imprevistas -, como férias, 13º salário e custos com demissões. Nesses casos, é bom sempre contar com uma reserva de caixa, que será acionada em casos extraordinários. Assim, você evita que haja um impacto direto nas finanças regulares e não precisa se preocupar com prejuízos extras, já que estruturas bem estabelecidas e eficientemente gerenciadas ajudam a evitar esse tipo de problema.

 

3. Manter o controle do ponto

Um dos gastos que muito se faz em decorrer da má gestão da folha são as horas extras. Por isso, é imprescindível que haja um controle rigoroso neste aspecto. Além disso, a folha ponto também é uma grande aliada do gestor porque, com ela sendo uma ferramenta confiável e bem gerenciada, é possível otimizar o controle de atrasos e faltas que sejam necessários descontar do colaborador.

 

4. Criar uma conta bancária exclusiva

Com o objetivo de facilitar a visualização das movimentações financeiras da organização relacionadas especificamente à folha de pagamento, uma dica importante é, quando possível, abrir uma conta bancária exclusiva para esse fim. Dessa forma, você evita que o dinheiro que entra e sai para o pagamento da equipe se misture ao restante das despesas, pois apenas as informações sobre isso estarão no extrato, tornando o gerenciamento mais claro para o gestor.

 

5. Criar uma rotina de pagamento

Esta ideia anda lado a lado com a automação do pagamento da folha, citado anteriormente. Isto porque, além de evitar problemas com esquecimento de algum pagamento, por exemplo, uma rotina possibilita o uso de ferramentas que tornem este processo automático. O gerenciamento inteligente da folha de pagamento é um importante diferencial para manter a saúde financeira do seu negócio.

Ainda nesse contexto, para fazer uma gestão precisa da folha, é sempre muito importante lembrar de todos os descontos que existem. Confira, a seguir:

 

Quais são os descontos da folha de pagamento?

 

– Previdência Social

A já conhecida contribuição do INSS varia de acordo com o salário, sendo descontada uma determinada porcentagem sobre os vencimentos. É esta contribuição que garante alguns benefícios ao trabalhador, como, por exemplo, a aposentadoria.

– Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS)

Descontado todo o mês, o FGTS é correspondente a 8% do salário bruto do colaborador. Em alguns casos, como a compra de uma casa, demissão ou as recentes liberações do governo, o contribuinte pode retirar esse valor de acordo com as regras estipuladas em cada caso.

– Imposto de Renda Retido na Fonte

O IRRF acontece quando o colaborador tem rendimentos que excedam o limite estipulado pelo governo. Ele vem descontado nos vencimentos mensais e conta com quatro faixas de dedução: 7,5%, 15%, 22,5% e 27,5% sobre o vencimento bruto. Esta faixa varia junto com o salário do contribuinte.

– Ausências e faltas

Quando a falta não é justificada de alguma forma reconhecida (formais ou atestados), o pagamento pode ser deduzido do salário.

– Aviso Prévio

Em casos de demissão ou pedido de desligamento por parte do colaborador, é preciso que seja cumprido um período de 30 dias, indenizado ou não. Em caso de descumprimento do aviso prévio, é possível descontar os dias não trabalhados na folha.

– Vale-transporte

O colaborador pode optar pela dedução de 6% do salário bruto em decorrência deste benefício. Sendo um desconto opcional, o colaborador pode escolher não recebê-lo.

– Empréstimo Consignado

Com juros menores, o empréstimo consignado pode ser feito com desconto direto na folha de pagamento, se o colaborador quiser assim.

– Adiantamento salarial

O adiantamento, normalmente, consta também na folha de pagamento. Neste caso, por mais que o pedido parta por parte do colaborador, quem tem a decisão final ainda é a empresa.

 

Com todos esses fatores, fica evidente a necessidade de uma gestão consciente e inteligente da folha de pagamento, sendo essencial no desenvolvimento e crescimento sustentável de uma organização. Por isso, é importante estar qualificado para o desempenho desta função. Afinal, negligenciar esta área do seu negócio pode trazer muitos prejuízos. Por outro lado, uma folha bem gerenciada, traz, por consequência, um melhor ambiente de trabalho, que acarreta em melhores resultados.

Deixe o seu comentário