Carregando

Blockchain: muito além das criptomoedas

Por banco-topazio | 19 de março de 2020

Além de proporcionar transações seguras de criptoativos, a rede descentralizada pode reduzir custos e melhorar processos operacionais

Tecnologia de registro descentralizado de dados criada em 2008, o blockchain vem sendo cada vez mais utilizado e vem revolucionando vários mercados. Por oferecer segurança para vários tipos de transação, ele ficou conhecido ao viabilizar as operações de criptomoedas, sendo o mais conhecido a criptomoeda Bitcoin. Mas ele é muito mais do que isso.

Comparado a um livro-razão público (um livro contábil onde ficam registradas as movimentações financeiras diárias – contidas no Livro Diário – de forma mais detalhada e individualizada), o blockchain é capaz de armazenar registros das mais diversas operações. Por ser uma cadeia de blocos em um banco de dados descentralizado, esse sistema distribuído na rede garante a segurança das transações ao permitir a validação instantânea das informações, em qualquer computador, sem a necessidade de intermediários e com baixos ricos, devido à dificuldade de alterar uma grande quantidade de informação ao mesmo tempo.

Para tanto, o sistema é composto por duas partes. A primeira é uma rede peer-to-peer, em que os usuários compartilham tarefas ou arquivos. Nela, sempre que um novo dado entra no sistema, é recebido por todos. E a outra parte, como já falamos, é um banco de dados descentralizado, onde toda a informação é compartilhada.

A segurança dos algoritmos de consenso

Podemos dizer que a base do blockchain são os algoritmos de consenso. Eles são responsáveis por manter a integridade e a segurança dos dados por meio de um mecanismo universal de registro. Com eles, redes como o blockchain, que podem ser públicas ou privadas, não dependem da “palavra final” de uma única pessoa ou máquina. Ou seja, todos os computadores que compõem aquela rede precisam estar de acordo na validação das transações.

Assim, entram em cena os algoritmos de consenso, que garantem que as regras do protocolo sejam seguidas e que todas as operações ocorram de forma confiável, fazendo com que cada criptoativo seja usado uma única vez, por exemplo.

Vantagens para o seu negócio

Como falamos, o blockchain pode ser usado para guardar qualquer tipo de informação de forma segura e inviolável. Para as empresas, essa vantagem é estratégica, já que, cada vez mais, o mercado exige formas inteligentes e seguras para salvar os dados, e contar com essa tecnologia se torna um grande avanço para o negócio. Pensando nisso, reunimos os principais benefícios do blockchain para as empresas. Confira:

Confiabilidade no armazenamento de registros

Com a descentralização da rede, o blockchain não tem um ponto central de falha, sendo mais resistente a ataques maliciosos. Isso porque qualquer registro é visível publicamente por todas as partes, além de que as transações não podem ser alteradas ou deletadas.

Menos intermediários, menos burocracia

Por ser peer-to-peer, duas partes são capazes de fazer uma transação sem a necessidade da intermediação de uma terceira pessoa. Além de trazer mais praticidade e agilidade ao processo, os usuários têm maior controle sobre suas operações.

Otimização de custos

Ao eliminar a necessidade da intermediação de uma terceira parte em cada transação, bem como despesas gerais para troca de bens, o blockchain tem o potencial de reduzir significativamente o custo de cada transação.

Como aplicar o blockchain na prática?

1) Mercado inteligente
Qualquer empresa que depende de contratos, como seguradoras, bancos e imobiliárias, pode se beneficiar do armazenamento de dados possibilitado pelo blockchain, que atualiza, gerencia, rastreia e protege os documentos. Um exemplo vem da Bolsa de Valores de Londres (LSE), a sexta maior do mundo, que está avaliando o uso do blockchain para emissão de ações e liquidação de operações.

No início de 2019, a LSE gerou uma rodada de investimento de US$ 20 milhões na startup de blockchain Nivaura. Já em abril, a Nivaura e a LSE emitiram 3 milhões de libras em ações na rede de testes da LSE.

2) Gestão de abastecimento

O blockchain é ideal para gerenciar e agilizar negócios em que há constantes mudanças, seja de estoque ou fluxo de caixa. Reduzindo o tempo de transações, inclusive entre países, a tecnologia já vem sendo usada no mercado agrícola internacional. A empresa norte-americana Louis Dreyfus Co., por exemplo, utilizou a tecnologia para vender 60 toneladas de soja ao governo chinês, reduzindo pela metade o tempo de processamento da transação de duas semanas para apenas uma quando substituiu o papel pelo blockchain.

3) Segurança de propriedade

O blockchain também contribui para a proteção de bens e direitos autorais. Com ele, um músico, ao registrar a propriedade de seu trabalho em tempo real, estará garantindo lucro com os royalties das suas músicas.

Esse é o serviço que a startup global Everledger pretende fazer usando blockchain a partir de uma solução batizada de BlockVerify, que foca em melhorar as medidas contra falsificação de produtos farmacêuticos, itens de luxo e eletrônicos ao permitir às empresas registrar seus próprios produtos.

4) Registro populacional

Os governos administram grandes quantidades de dados pessoais. Nesse cenário, o blockchain é capaz de oferecer uma solução simplificada para gerenciar esse enorme volume de informações de forma segura e prática. O governo holandês, por exemplo, está trabalhando para realizar registros de bicicletas. Como se trata de um meio de locomoção muito comum no país, há a necessidade de assegurar essa propriedade para casos de furto e roubo.

5) Processos bancários

Mesmo com suas diferentes aplicações, as transações financeiras ainda são as mais impactadas pelo blockchain. Para se ter uma ideia, em 2017, os investimentos feitos pelas instituições financeiras no setor tecnológico chegaram a R$ 19,5 bilhões, segundo a Federação Brasileira dos Bancos.

Nesse sentido, muitos bancos já estão se movimentando para adaptar seus sistemas em direção à essa nova realidade, aplicando a tecnologia em serviços como:

  • Operações de câmbio;
  • Registro de títulos em tempo real;
  • Armazenamento de documentos e contratos com segurança;
  • Rastreamento de transações;

Percebeu como o blockchain vai muito além das transações de moedas virtuais? Com segurança e de forma prática e ágil, a solução permite transmitir as mais diversas informações, transformando modelos de negócio em todo o mundo.

Deixe o seu comentário