Carregando

8 dicas para reduzir as despesas do seu negócio

Por banco-topazio | 27 de fevereiro de 2020

Reavaliar as contas e iniciar com pequenas mudanças podem fazer a diferença quando o plano é reduzir as despesas

A gestão financeira de uma empresa passa por muitos fatores e variáveis. Se a meta da empresa é reduzir as despesas, é possível, com algumas pequenas mudanças, notar diferença no final do mês – sobretudo em empresas de pequeno e médio porte.

Algumas ações são simples e podem ser implementadas imediatamente, enquanto outras exigem um certo planejamento. De qualquer forma, é importante estar atento aos dados financeiros da empresa durante o ano todo, avaliando se as ações estão mesmo gerando resultados.

Listamos 8 dicas práticas para ajudar na economia do seu negócio. Confira:

1.Separe a conta pessoal da corporativa

Ainda que seja prático à primeira vista, misturar finanças pessoais e comerciais podem virar uma complicação para a empresa. Na hora da contabilidade, o empresário pode acabar precisando gastar muito tempo e energia (e, portanto, dinheiro) para reorganizar os dados financeiros. Além disso, contas corporativas costumam oferecer planos e benefícios na medida certa para pessoas jurídicas.

2.Saiba negociar com fornecedores

Analise suas contas com os fornecedores para decidir o que pode ser otimizado. Saber barganhar pode ser importante para conseguir um acordo melhor ou um prazo maior para o pagamento. Uma boa dica é fazer uma avaliação dos termos de compra de cada fornecedor, analisando se as multas por atraso de pagamento e períodos de carência fazem sentido para o negócio.

3.Faça um planejamento

Comece analisando suas contas e fazendo um diagnóstico do que pode ser cortado. Depois da inspeção minuciosa dos números, é hora de colocar no papel metas financeiras que sejam possíveis de serem atingidas a médio e longo prazo. Com um objetivo visível, a motivação para economizar tende a aumentar, facilitando as tomadas de decisão e o estabelecimento de estratégias para chegar aos resultados pretendidos.

4.Avalie se é hora de contratar

A contratação de colaboradores envolve custos com o treinamento, além dos investimentos no processo de seleção. Só contrate se for necessário para o momento. Além disso, também é preciso avaliar a necessidade de demissão e mensurar o possível pagamento de direitos trabalhistas no momento em caso de desligamento.

5.Planeje o estoque

Talvez seja hora de cortar os investimentos que não estão dando muito retorno. A falta de gestão adequada dos estoques, se não corrigida, pode se tornar um peso insustentável para as finanças da empresa. Avalie se é realmente necessário renovar produtos que apresentem baixa rotatividade e esteja atento às novidades do mercado, que tem atraído melhor demanda. Com isso, a economia é certa também nos gastos com armazenamento.

6.Busque associações e entidades representativas

Procure associações comerciais relacionadas ao setor da sua empresa. Com taxas de adesão acessíveis, essas associações oferecem diversas vantagens para as empresas, como descontos em seguros e operadoras de telefonia. Cartórios, agências de comunicação e empresas de medicina no trabalho são alguns dos empreendimentos que oferecem descontos em associações.

7.Poupe no consumo de energia

Dependendo do setor, a energia elétrica pode ser um dos maiores gastos de manutenção para as empresas. É possível economizar com a soma de pequenas ações, como verificar se os computadores estão desligados ao fim do expediente, usar a luz natural pelo maior tempo possível. Utilizar menos impressões e fotocópias também poupa energia elétrica, além da economia no uso de papel. Ações de conscientização com os funcionários também podem ajudar para que todos atinjam juntos este objetivo.

8.Escolha um regime de tributação adequado

Em um país com alta taxa de impostos e tributos que as empresas pagam, reavaliar o regime de tributação pode ser fundamental para as finanças. A dica aqui é procurar um profissional da contabilidade, que irá avaliar e simular os gastos com diferentes regimes, como o Lucro Presumido, Lucro Real e o Simples Nacional. Cada opção tem alíquotas e deduções próprias que podem ser mais adequados para determinadas empresas e setores.

Leia também: Cultura orçamentária: o que e é quais são os benefícios para sua empresa

Já sabe qual dessas medidas é mais fácil de aplicar no seu negócio? Então já é possível começar a economia. Inicie fazendo uma lista detalhada das medidas e dos setores nos quais elas podem ser adotadas. Depois, é só começar a colocar em prática a partir do item mais prático e imediato. A economia pode demorar um pouco para aparecer, mas a médio e longo prazo, o resultado pode fazer a diferença para a saúde financeira da sua empresa.

Deixe o seu comentário