Carregando

Fintechs estão impactando cada vez mais o mercado financeiro

Por banco-topazio | 16 de agosto de 2019

Sabemos que a tecnologia e a internet vêm mudando nossa vida, inclusive quando o assunto é dinheiro. Como consumidores, hoje, temos muitas informações e uma infinidade de opções de compra na palma da mão. Com isso, nosso perfil mudou. Nos tornamos mais exigentes e queremos serviços mais práticos, baratos e com a agilidade que precisamos. 

Por outro lado, o termo Fintech tem se tornado cada vez mais comum no mundo dos negócios. Essas startups financeiras apareceram no mercado com força após a grande crise de 2008. A instabilidade das instituições financeiras se transformou em oportunidade de investimento para suprir as necessidades do mercado com a ajuda da tecnologia. Esse novo modelo tem como objetivo disponibilizar serviços financeiros mais acessíveis e de baixo custo, oferecendo soluções digitais mais simples e ágeis e tem conquistado cada vez mais a confiança dos clientes.

A palavra Fintech é a união dos termos em inglês finance (finanças) e technology (tecnologia) e é o modelo de negócios que mais cresce no País. Para se ter uma ideia, o relatório Fintech na América Latina 2018 aponta crescimento de 66% de novas fintechs na comparação com 2017, sendo que o Brasil é o país com maior número de fintechs na América Latina. Assim, a tecnologia vem redesenhando os serviços financeiros, estimulando o desenvolvimento de alternativas mais práticas e que melhoram a experiência do consumidor.

 

O impacto das fintechs

Com o crescimento das fintechs, as grandes instituições também começaram a sentir a necessidade de se modernizar para se manterem competitivas. Uma característica que torna as fintechs tão interessantes é que seus custos operacionais são reduzidos em função das soluções tecnológicas aplicadas a seus processos, o que impacta diretamente no valor do produto final e, consequentemente,  é benéfico para os usuários, que podem dispor de produtos e serviços de qualidade com valores menores.

Além disso, diferentemente de grandes bancos, que têm um imenso portfólio de produtos, essas empresas costumam ter a oferta de um único produto, buscando uma entrega especializada e com uma excelente experiência de uso.

Leia mais:
>> Vantagens de ser parceiro de um banco digital

Democratização do acesso a serviços financeiros 

De acordo com dados recentes do IBGE, hoje no País há mais de 60 milhões de brasileiros sem conta em banco, cartão de crédito ou débito. Neste cenário, as fintechs oportunizam aos clientes desbancarizados, novas opções para a realização de transações financeiras, como ter um cartão de crédito, realizar transferências ou pegar um empréstimo,sem a necessidade de ter vínculo com algum banco. Essa democratização do acesso a serviços financeiros beneficia consumidores e amplia as possibilidades de negócio no mercado.

Assim, o surgimento e o fortalecimento das fintechs traz mudanças para todos: de um lado, organizações que crescem fazendo uso da tecnologia para oferecer serviços e produtos com valores mais competitivos e soluções mais especializadas, focadas nos problemas dos clientes. De outro, usuários que conseguem usufruir de diversos produtos financeiros com taxas menores e de maneira mais ágil, podendo escolher uma solução mais personalizada, inclusive a partir de dispositivos móveis, onde e quando quiser.  

Causando, assim, um impacto positivo no mercado financeiro, pois amplia as possibilidades de oferta de serviços e produtos, atingindo um público cada vez maior, com facilidades e agilidade nos processos, tornando o mercado mais competitivo.

 

Tipos de fintech

As fintechs costumam trabalhar em nichos mais específicos do mercado financeiro. Vamos conhecer um pouco mais sobre eles:

Pagamento

Essas fintechs têm como objetivo facilitar e modernizar as formas como realizamos pagamentos. Essas empresas podem oferecer, entre outras soluções, cartões de crédito sem anuidade ou mesmo máquinas de cartão a custos mais baixos para os lojistas, por exemplo. Além disso, para realizar transações por esse tipo de fintech, não há necessidade de abertura de contas ou vínculos de longo prazo com instituições financeiras.

Com isso, também surgem novas possibilidades de pagamento para os usuários, como pagamentos ou transferências de valores pelas chamadas e-wallets, carteiras digitais que permitem comprar ou realizar transações por aplicativos. Também podemos citar outras formas de pagamento facilitado, como por aproximação do smartphone ou cartão na máquina ou pelos chamados wearables, como pulseiras e relógios com acesso autorizado.

Crédito

As fintechs de crédito têm como objetivo facilitar o processo para quem precisa contratar crédito. Com transações online, esse modelo pode oferecer diferentes tipos de negociação, como microfinanciamento, empréstimos, serviços de renegociação de dívidas e até mesmo aproximar quem precisa e quem empresta dinheiro, no modelo peer to peer (P2P).

Além disso, para agilizar e trazer mais segurança ao processo, essas fintechs podem contar com o apoio dos birôs de crédito. Ampliando a pesquisa sobre os dados dos solicitantes, esses birôs vão além das cópias de comprovantes de rendimento, assegurando a transparência nas operações de crédito ao coletar informações de diferentes fontes sobre o histórico financeiro dos envolvidos na operação.

Criptoativos

Com a popularização das criptomoedas, começaram a surgir fintechs que facilitam transações de moedas digitais, como por exemplo o Bitcoin. Estas fintechs trabalham para garantir a segurança nas operações com criptomoedas e expandir as negociações no ambiente digital, criando mais possibilidades de câmbio, por exemplo. Quer saber mais sobre essas moedas virtuais? Neste artigo, falamos sobre o assunto.

Controle financeiro

Para quem precisa manter as finanças em ordem, as fintechs de controle financeiro podem ajudar. Existem soluções pessoais e outras específicas para o controle de caixa da sua empresa. Com elas, é possível gerenciar as entradas e saídas, criar categorias para facilitar o filtro de informações e até definir de metas. E tudo isso onde e quando você quiser, pelo aplicativo do celular ou no computador. Alguns exemplos de fintechs de controle financeiro são: GuiaBolso, Organizze e Conta Azul. Vale a pena conferir. 

Investimento

Para trazer mais facilidade na hora de fazer seu dinheiro render, as fintechs de investimento buscam oferecer a melhor experiência digital aos seus clientes, facilitando o acesso e desmistificando a ideia de que só pessoas com maior poder aquisitivo podem investir. No site ou aplicativo dessas empresas, você tem acesso aos seus rendimentos de uma forma simples, apresentadas de forma gráfica e fácil de entender.

Ou seja, voltadas a desburocratizar e tornar mais acessíveis os produtos e serviços financeiros, as fintechs estão revolucionando o mercado financeiro, que, por sua vez, tem se transformado e se adaptado a  estas transformações. Já as instituições financeiras buscam, cada vez mais, digitalizar seus processos e facilitar o acesso dos consumidores a seus produtos e serviços para se manterem competitivas e atraentes nesse novo cenário.

E você, já usa algum produto de Fintech? O que está achando dessas novas possibilidades?

 

Deixe o seu comentário