Carregando

CET: tudo o que você precisa saber sobre o Custo Efetivo Total

Por banco-topazio | 3 de outubro de 2019

 

Custo Efetivo Total (CET) é formado por várias taxas que o consumidor deve procurar entender

 

Fazer uma contratação financeira – seja empréstimo, financiamento ou investimento – sem saber o valor total a se pagar pode se tornar um grande prejuízo para o seu bolso. Afinal, sem essa informação, além de correr o risco de não conseguir cumprir com o que foi acordado, o cliente ainda pode perder a chance de negociar melhores taxas ou escolher o serviço mais vantajoso para o seu perfil.

Mas é para evitar esse tipo de problema que existe a informação sobre o Custo Efetivo Total (CET), conjunto de taxas cobradas na contratação de serviços financeiros. O esclarecimento é obrigatório desde 2008 nas operações de crédito, quando entrou em vigor a resolução nº 3.517/2007 do Conselho Monetário Nacional e Banco Central.

Já em de julho de 2013, tornou-se lei que as instituições financeiras devem descrever de forma clara e transparente a composição dos custos nas operações de crédito em valores e em percentuais, especificando o nome de cada despesa que será acrescentada ao serviço solicitado.

 

Principais encargos cobrados no CET para operações de crédito

 

O CET é a soma de todos os encargos, tributos, taxas, juros, seguros e despesas relacionadas a operações de crédito e serviços financeiros. No caso do crédito, para ter maior consciência e liberdade na hora de escolher entre duas ou mais opções é fundamental saber quais são os principais encargos e por que eles são incluídos no valor final que você pagará.

 

Imposto sobre Operações Financeiras (IOF)

O IOF é um imposto federal que pode ser considerado um regulador da economia nacional. Ou seja, a taxa cobrada em cada operação, como câmbio, seguros, títulos e ativos financeiros, dá à Receita Federal conhecimento sobre a demanda e oferta de crédito no País.

 

Tarifa de Abertura de Cadastro (TAC)

Nos casos em que o cliente não tem conta corrente na instituição na qual quer contratar um empréstimo ou financiamento, a tarifa de abertura de cadastro é cobrada como forma de oficializar o início do relacionamento entre o banco e o usuário.

 

Despesas administrativas em geral

As instituições financeiras têm gastos para gerenciar suas operações e oferecer serviços e produtos a seus clientes. Para cobrir estas despesas, é comum a cobrança de pequenas taxas administrativas, incluídas no valor do empréstimo ou financiamento e que servem para a manutenção de serviços bancários.

 

Seguro

Em caso de óbito, desemprego ou doença que incapacite o cliente de arcar com o pagamento dos valores emprestados, as instituições incluem taxas de seguro. Este percentual garante à instituição menores prejuízos em caso do não cumprimento do acordo por parte do solicitante e pode variar de acordo com o serviço contratado e o perfil do cliente.

 

Principais encargos cobrados no CET para operações de investimento

 

Agora, se o que você busca é investir, saiba que o CET também estará presente nos valores finais. Por isso, para garantir um negócio mais rentável, é preciso ficar atento. Entre as principais cobranças relacionadas a investimentos, além das já citadas IOF e taxas de administração, podemos elencar:

 

Taxa de corretagem

Esta tarifa é cobrada para que as instituições comprem e vendam ações. Este valor pode ser fixo ou variável, sendo cobrada uma porcentagem sobre o valor de cada operação.

 

Taxa de Custódia

Esta tarifa refere-se ao valor cobrado pelos bancos para “guardar” ações ou valores investidos para os clientes. Dependendo da instituição, a cobrança pode não ser efetuada ou, ainda, diluída em despesas mensais.

 

Emolumentos

Apesar do nome incomum, os emolumentos são taxas recorrentes, que são cobradas pela Bolsa de Valores do Brasil. As cobranças acontecem em operações de compra e venda de ativos financeiros e são recolhidas para pagar os gastos envolvidos nesse tipo de transação

 

Imposto de Renda (IR)

Todo investimento tem incidência de Imposto de Renda sobre o rendimento total. A alíquota, assim como o modelo de cobrança, variam de acordo com o tipo de aplicação. Na maioria dos fundos de investimento, por exemplo, o IR varia entre 15% e 22,5% e é debitado na fonte em dois períodos do ano. Já os fundos de investimento de ação tem alíquota fixa de 15%, paga no momento do resgate da operação. 

 

Taxa de Liquidação e Negociação

Essas duas taxas estão incluídas nas tarifas cobradas em investimentos e são recolhidas pela Bovespa para a realização de operações de compra e de venda de títulos e de ações.

 

Taxa de Aquisição do Tesouro Direto

As instituições financeiras costumam cobrar uma porcentagem sobre as operações realizadas para a compra de títulos públicos, como os do Tesouro Direto. Em geral, essa taxa não costuma ficar acima de 1% ao ano, e algumas instituições até dispensam essa cobrança, dependendo da modalidade investida.

 

Agora que você já sabe o que é o CET, fique ligado nas suas operações financeiras para não sofrer prejuízos. Afinal, saber exatamente o que você está pagando é fundamental para alcançar seus objetivos com sucesso.

Deixe o seu comentário