Carregando

Carteiras Digitais: conheça a tendência dos pagamentos

Por banco-topazio | 2 de agosto de 2019

 

Convidamos o nosso parceiro Luiz Duarte, especialista em Computação e Agile Coach, a abordar uma das principais inovações para o mercado financeiro, as carteiras digitais. Confira o texto dele:

 

Você acorda pela manhã, toma o seu banho, se veste para o trabalho e sai de casa apenas com seu smartphone e um documento de identidade. Não, você não esqueceu nada de importante, apesar do longo dia que tem pela frente.

No metrô, você passa seu smartphone na catraca e ela libera automaticamente, enquanto que a cobrança é debitada da sua conta corrente. Ao meio dia você almoça em um restaurante próximo do escritório e ao escanear um QR Code no estabelecimento com a câmera do celular, a conta é paga.

Quando o expediente chega ao final, você decide passar no mini-mercado mais próximo pois lembrou de alguns itens que faltam na sua geladeira. A moça do caixa escaneia um código de barras na tela do seu smartphone e não apenas suas compras estão pagas como serão enviadas para sua residência, afinal, você ainda tem uma viagem de metrô até o lar.

No metrô novamente, você acessa um app, confere o extrato dos seus gastos do dia e lembra de transferir um valor que devia para um amigo. Você o chama no app de mensagens e pelo próprio app lhe envia a quantia desejada, que credita no mesmo instante para ele.

Ficção científica?

Não, apenas mais um dia comum nas metrópoles asiáticas (entre outros locais) que já aderiram às carteiras digitais, assunto do nosso artigo de hoje.

O que é uma carteira digital?

Uma carteira digital, carteira virtual ou também chamada de e-wallet, é um software que armazena seus dados e seu dinheiro em um ambiente seguro criptografado, em que a informação é protegida de modo que apenas o emissor e receptor consigam compreendê-la.  Pode ser utilizada para realizar e receber pagamentos, assim como uma carteira física permitiria com papel moeda.

No passado, empresas pioneiras como PayPal popularizaram o uso de carteiras digitais para compras online, vinculando o seu cadastro nessas plataformas com os dados dos seus cartões de crédito. Assim, você podia transferir dinheiro e pagar contas usando o seu cartão, mesmo em ambientes virtuais sem expor os dados do mesmo. Na China, em 2004 surgia o AliPay, o PayPal chinês do grupo AliBaba, hoje detentor de mais de 53% do mercado chinês de pagamentos digitais.

Com o boom mundial dos smartphones no final da década passada, as carteiras digitais foram incorporadas aos nossos aparelhos com o advento de apps específicos e começaram a disputar os nossos bolsos com as carteiras físicas. Não era mais necessário ter um cartão de crédito, você podia depositar dinheiro na sua carteira digital e depois usá-lo para transacionar. Ainda assim, as transações eram com as duas partes online.

Padrões como o NFC (Near Field Communication ou Comunicação de Campo Próximo) passaram a permitir que você use sua carteira digital apenas aproximando seu smartphone das famosas máquinas de cartão e outros dispositivos inteligentes, tornando as carteiras digitais mais fáceis e seguras de usar do que os famosos cartões de crédito/débito. Para os estabelecimentos que não queriam/podiam trocar suas maquininhas de cartão por modelos mais modernos com suporte à tal tecnologia, passaram a imprimir QR Codes (uma espécie de código de barras mais moderno) para que seus clientes façam o pagamento com suas carteiras virtuais escaneando os mesmos. Isso tudo para que você pudesse comprar de um estabelecimento local (offline) através de um dispositivo conectado na Internet.

Não apenas dinheiro e dados de cartão de crédito, carteiras virtuais podem também guardar ingressos de shows, vale-presentes e tickets de transporte público. Atualmente, carteiras digitais são imensamente mais seguras do que carteiras físicas e talvez a única coisa que elas ainda não guardem sejam as fotos dos seus filhos. Mas pra isso existem outros apps, não é mesmo?

Vantagens das carteiras digitais

Para o consumidor, usar uma carteira digital é muito mais prático e seguro.

Além de não ter de carregar dinheiro em espécie, principalmente em países com índices preocupantes de criminalidade como o nosso, o consumidor conta com a facilidade de pagar mais rapidamente do que nas maquinhas de cartão convencionais, costuma não pegar filas para pagamento e transaciona mais facilmente com amigos e parentes que não precisam obrigatoriamente ser bancarizados, ou seja, carteiras digitais são mais democráticas do que contas correntes.

Falando de segurança digital, além da criptografia dos softwares e das transações em si, mesmo que você carregue sua carteira digital no smartphone e o mesmo seja perdido ou roubado, os seus dados (e saldo) estarão salvos na nuvem do provedor deste serviço, cabendo a você solicitar o bloqueio no dispositivo antigo e ativando sua carteira digital em novo dispositivo. Como as transações são sempre autorizadas por meio de PINs, senhas ou biometria, alguém que ache seu smartphone por acaso não irá usar sua carteira virtual sem seu consentimento.

Para o comerciante, receber pagamentos através de carteiras digitais pode ser igual ou melhor que através dos meios de pagamento mais tradicionais: os famosos cartões.

Igual porque algumas carteiras digitais como Apple Pay e PayPal basicamente fazem suas transações através do cartão de crédito do consumidor e aí as mesmas regras normais se aplicam (prazo para recebimento, taxas, etc). Agora, se você aceita/possui carteiras digitais como Payly e PicPay, tudo muda de figura pois há menos intermediários (o que se traduz em menos taxas) e o dinheiro entra na sua carteira digital na hora, sendo neste caso melhor que usar cartões.

Além disso, se o seu estabelecimento comercial costuma ter filas, as carteiras digitais costumam reduzir as mesmas uma vez que dependendo da forma de pagamento que você disponibilizar para eles (NFC, QR Code, transferência, etc), os clientes poderão pagar diretamente de suas mesas e só apresentar o comprovante na saída.

Mesmo que o seu público tenha dinheiro em mãos, ainda tem a questão de segurança no seu estabelecimento, pois ter muito dinheiro em espécie nos leva a caixa abarrotado de dinheiro, existência de cofre, contagem e recontagem de notas, etc.

Tendência?

As carteiras virtuais vieram para ficar. Em países como a China, já são utilizadas por mais de 90% da população. Em outros países da Ásia, menos desenvolvidos, temos taxas de 1/3 a ¼ da população usando carteiras digitais em suas transações diárias. Uma vez que quase qualquer pessoa com um aparelho de telefone está capacitada a ter uma carteira digital, estamos falando de um potencial 4x maior do que o número atual de contas bancárias ativas do mundo (1.3 bi de contas ativas contra 5.3 bi de contas de telefone ativas). O potencial é gigantesco!

Aqui no Brasil, embora ainda não tão populares, temos diversas iniciativas neste segmento que merecem a sua atenção. A população já está extremamente digitalizada, inclusive entre os mais velhos (cerca de 60% dos adultos acima de 50 anos no RS) e cada vez mais adepta de soluções mais modernas e digitais de pagamentos, vídeo a proliferação de fintechs e bancos digitais nos últimos anos.

Unindo praticidade, segurança e uma boa dose de inovação, devemos ver uma adesão sem precedentes desta tecnologia nos próximos anos e um aumento na competitividade com as bandeiras de cartões, o que tende a beneficiar o consumidor no final das contas.

E você, está preparado para abandonar a carteira física por uma digital?

 

 

Acompanhe também o blog do nosso parceiro Luiz Duarte.

 

Deixe o seu comentário