Carregando

O que você precisa saber sobre câmbio de criptomoedas

Por banco-topazio | 18 de junho de 2019

Você sabia que é possível fazer a troca de qualquer moeda por criptomoedas?

Que a internet já se tornou uma ótima ferramenta para facilitar e agilizar várias tarefas do nosso dia a dia você já sabe, certo? Pela tela do computador ou com alguns cliques no seu celular, é possível fazer pesquisas, compras e até transações financeiras. Ou seja, essa conexão vem mudando a forma como lidamos com o dinheiro.

Um exemplo disso é a popularização das criptomoedas. Essa moeda virtual tem sido utilizada com cada vez mais frequência, inclusive para investimentos, e promete ser o “dinheiro do futuro”. Para quem ainda não está familiarizado com o termo, vamos explicar: como falamos, essa é uma moeda digital, mas que pode ser convertida em valores reais. Esse câmbio ocorre por canais online, o que ajuda a diminuir a demora e a burocracia do processo.

Mas, quando se trata de transações online, uma preocupação comum (que deve ser a sua também) é em relação à segurança, a não perder dinheiro. Bem, no caso das moedas virtuais, saiba que elas são totalmente rastreáveis o que dificulta muito qualquer falsificação. Assim como o dinheiro físico vem com números de série e marca d’água, as criptomoedas têm códigos que são muito difíceis de quebrar. Além disso, grande parte das transações realizadas com criptomoedas ficam registradas em um banco de dados da internet aberto conhecido como blockchain.

Um blockchain pode ser usado para registrar qualquer informação (mesmo!). E essa ampla possibilidade de registros fez surgir o termo criptoativos. Ou seja, qualquer dado que não seja uma unidade monetária pode ser convertido em um registro no blockchain, incluindo, por exemplo, estoques de bens como petróleo e café.

 

Como iniciar o investimento em criptomoedas?

O primeiro passo para começar a investir nas criptomoedas é conhecê-las. Essas moedas virtuais têm diferentes nomes, sendo que o mais conhecido é o Bitcoin. Mas existem outras opções, como DASH, Ether, XEM, Banker, Tether etc.

Para iniciar o investimento, procure uma instituição financeira que ofereça operações online, como os bancos digitais. Para abrir uma conta nestas plataformas, basicamente você precisa disponibilizar o número do seu CPF e preencher um formulário de identificação.

Por ser uma operação online, agilidade é sua característica. Então, concluída a etapa de documentação, é possível começar a investir no mesmo dia. Mas atenção: para não perder dinheiro, fique atento à cotação do dólar comercial no dia da transação. Assim como ocorre com o câmbio tradicional, toda negociação está atrelada ao valor do dólar.

Por ser uma operação online, agilidade é sua característica. Então, concluída a etapa de documentação, é possível começar a investir no mesmo dia. Mas atenção: são ativos que variam muito de preço, então você precisa estar preparado para perder dinheiro nesse investimento de alto risco.

Entre as principais negociação que você pode fazer, estão:

Venda de criptomoeda: a instituição vende a moeda virtual pela cotação do mercado, muitas vezes, cobrando uma taxa de serviço, mesmo que a taxa não esteja clara (a instituição pode até dizer que não cobra taxa, mas vai te vender por um preço um pouco acima do mercado, o que dá na mesma).

Mediação de venda: a instituição age como uma intermediária, ligando os usuários que estão vendendo com os que estão comprando e cobram uma taxa por este serviço. Esse é o serviço básico de uma corretora cripto, e ela recolhe uma taxa em todas as operações.

Empréstimo de criptomoeda: a instituição pode emprestar moedas próprias ou de outros usuários para quem necessita. Por sua vez, é preciso devolver o valor que foi emprestado com juros.

Conversão de criptomoedas: é o processo de transformação das criptomoedas em outros bens, como moeda nacional ou internacional.

Armazenamento de criptomoeda: algumas instituições permitem que o usuário crie uma carteira digital (conhecida como wallet) para ter um controle maior das suas moedas.

 

Trocando criptomoeda por dinheiro

Para que você possa utilizar o valor da criptomoeda, existem algumas ferramentas que podem ajudar:

1. Locais cadastrados

No Brasil, existem 180 locais cadastrados que recebem pagamentos por criptomoedas. Estes locais estão concentrados nos estados de São Paulo, Curitiba e Rio Grande do Sul. No portal do Coinmap, você encontra caixas eletrônicos onde é possível sacar o valor, além de bares, restaurantes e outros comércios que aceitam o pagamento por moedas digitais.

2. Cartão de débito

Os cartões de débito de criptomoedas são uma maneira prática e acessível de utilizar as moedas digitais no comércio tradicional, já que eles convertem automaticamente suas moedas digitais em uma moeda real. A maioria desses cartões são gerenciados por bandeiras conhecidas, o que permite transações em diversos estabelecimentos.

3. Instituições financeiras

Para trocar suas criptomoedas por dinheiro tradicional, você também pode recorrer às instituições financeiras. Basta se cadastrar, informar sua necessidade e rapidamente realizar a troca junto à instituição.

Investir em criptomoedas pode ser simples e rápido, já que estamos falando de transações digitais, que tem a agilidade como característica. Mas é preciso tomar alguns cuidados, já que você está movimentando seu dinheiro.

 

Caso você não tenha o hábito e se sinta inseguro quando se trata de tecnologia, o primeiro passo é pesquisar bastante sobre o assunto e conversar com alguém que entende de investimentos online. Escolha uma instituição de confiança, tire todas as suas dúvidas antes de iniciar o processo de câmbio e, principalmente, fique atento às alterações e desvalorização do mercado.

 

 

Deixe o seu comentário